0

Guaidó diz que oposição venezuelana não planeja mais negociações com governo Maduro na Noruega

7 jun 2019
19h33
  • separator
  • 0
  • comentários

O líder de oposição venezuelana Juan Guaidó disse na sexta-feira que a oposição não planeja por ora participar de uma nova rodada de negociações com os representantes do presidente Nicolás Maduro na Noruega, depois que as tentativas de mediação fracassaram no mês passado sem um acordo. 

Juan Guaidó
18/05/2019
REUTERS/Ivan Alvarado
Juan Guaidó 18/05/2019 REUTERS/Ivan Alvarado
Foto: Reuters

Negociações buscando um acordo político para o país abalado pela crise foram interrompidas em 29 de maio, conforme representantes da oposição repetiam pedidos para que Maduro renunciasse e permitisse que um governo de transição organizasse uma eleição presidencial. 

Guaidó se autodeclarou presidente interino em janeiro, citando a Constituição venezuelana, e denunciou o governo de Maduro como ilegítimo após sua reeleição no ano passado em um pleito amplamente considerado como fraudulento. 

Durante um comício na cidade central de Valencia, Guaidó disse que mais conversas "não estão nos planos hoje".

"Por que não? Por que qualquer coisa que não nos mova na direção (da renúncia de Maduro) é inútil." 

O Ministério de Informação da Venezuela não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. 

A Noruega tem uma longa tradição de mediação de conflitos, inclusive tendo ajudado a negociar um acordo de paz na Colômbia que levou à desmobilização do grupo guerrilheiro das Farc. 

Mas as expectativas para negociações entre os dois lados da Venezuela eram baixas desde que foram reveladas no mês passado. A oposição perdeu a fé na possibilidade de diálogo com o governo Maduro depois de reuniões em 2016 e 2018 que terminaram em recriminações e sem acordo. 

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702)) REUTERS AC

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade