PUBLICIDADE

Papa cria comissão específica para combater casos de pedofilia

5 dez 2013 15h44
Publicidade

O papa Francisco criou uma comissão específica para prevenir os casos de pedofilia na Igreja, que foi proposta pelo conselho de cardeais que estuda a reforma da Cúria Romana, anunciou nesta quinta-feira o arcebispo de Boston, Sean Patrick O'Malley.

O anúncio da criação desta comissão pretende continuar o caminho feito pelo papa emérito, Bento XVI. Seu pontificado foi salpicado por casos de abusos a menores de idade, embora tenha pedido em diversas ocasiões "tolerância zero" contra os clérigos pedófilos.

Neste sentido, Bento XVI considerava que a cura das vítimas que sofreram abusos sexuais por parte de clérigos deve ser "a preocupação prioritária" da comunidade cristã, que, a seu ver, tem que se unir a "uma profunda renovação da Igreja em todos os níveis".

O primeiro sintoma de que Francisco ia abordar com profundidade este tipo de delito aconteceu em 11 de julho quando emitiu um "motu proprio" (decisão pessoal do papa). Com isso, entre outras medidas, definia com maior clareza este tipo de transgressão.

Em seguida a essa mudança no modo de operação da Igreja em relação aos casos de pedofilia chegou hoje o anúncio da criação desta comissão. A composição e competências serão especificadas pelo papa Francisco, que nos próximos dias emitirá um comunicado.

O objetivo da Santa Sé é criar uma rede mundial que permita detectar, denunciar e deter este tipo situação. A comissão terá a tarefa de informar o papa sobre o estado atual dos programas de proteção à infância do Vaticano.

Além disso, terá que sugerir novas iniciativas para combater os casos de pedofilia, propostas que surgirão da própria cúria que se beneficiará de uma rede formada por bispos, superiores religiosos e Conferências Episcopais de todo o mundo.

No plano executivo, a comissão terá que buscar e propor pessoas capacitadas para realizar, por sua vez, estas iniciativas.

O grupo, segundo especificou o cardeal O'Malley, englobará laicos, sacerdotes e religiosos que sejam competentes na segurança infantil, a relação com as vítimas e na aplicação da legislação.

A ideia da criação deste órgão surgiu na penúltima sessão da segunda rodada de reuniões do "G8 vaticano", o conselho de cardeais que pretende reformar a Cúria.

Nestes três dias de reuniões, além da criação desta comissão contra a pedofilia, os oito cardeais analisaram alguns Dicastérios (departamentos da Cúria) como o da Causa dos Santos, da Educação Católica e da Evangelização dos Povos, além do Culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos.

EFE   
Publicidade