1 evento ao vivo

Irlanda do Norte: freiras pedem perdão por abusos a menores

Representantes da ordem Irmãs de Nazaré disseram que não apenas freiras, mas também leigos e internos maiores de idade abusavam física e psicologicamente de menores em suas casas de amparo

20 mai 2014
14h40
atualizado às 14h41
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A ordem de freiras católicas Irmãs de Nazaré reconheceu nesta terça-feira que os abusos psíquicos e físicos cometidos contra menores em suas residências da Irlanda do Norte foram "espantosos".

"Devemos aceitar que, em algumas ocasiões, o comportamento de certas freiras não foi correto", declarou a irmã Brenda McCall perante o tribunal especial que desde janeiro investiga os abusos cometidos e instituições da província administradas por religiosos e organismos estatais entre 1922 e 1995.

Trata-se da maior investigação deste tipo realizada no Reino Unido, depois que na vizinha República da Irlanda vários relatórios elaborados nos últimos anos revelaram a existência de milhares de casos de abusos contra menores.

Em uma audiência anterior, as Irmãs de Nazaré, através de seu advogado, Turlough Montague, já tinham reconhecido o "o dano causado a algumas crianças sob seus cuidados" e pediram "perdão sem reservas".

Durante a sessão de hoje, a irmã Brenda, em nome de toda a congregação, reiterou que as freiras, leigos e, até mesmo, alguns internos maiores de idade abusaram física e psicologicamente de menores em suas casas de amparo da cidade de Derry, ao oeste da província britânica.

"Durante os últimos anos, pedimos perdão pessoalmente a alguns indivíduos que apresentaram seus casos", explicou a religiosa perante o tribunal presidido pelo juiz norte-irlandês aposentado Anthony Hart.

Nas últimas semanas, várias pessoas prestaram depoimento sobre suas experiências nessas instituições. Segundo a irmã Brenda, "foi duro e horroroso" escutar em primeira mão os "espantosos" abusos cometidos.

"Somos um grupo humano, uma organização humana. Tivemos pessoas que defenderam a causa e tivemos pessoas que eram um pouco fracas, e tudo o que posso dizer é que tivemos algumas irmãs maravilhosas e heróicas", afirmou a freira em defesa de sua congregação.

Hoje, também prestou depoimento o ex-bispo de Derry Edward Daly. Ele se declarou um grande admirador do trabalho desenvolvido pelas Irmãs de Nazaré em uma cidade onde nos anos 50 e 60 parte da comunidade católica vivia na extrema pobreza.

Embora tenha reconhecido que nunca soube muito o que acontecia nas instituições da ordem, ele garantiu que em seus 36 anos de Ministério só recebeu uma carta de uma mulher, já falecida, que escreveu para contar sua experiência de abusos.

A chamada investigação sobre Abusos Institucionais Históricos (HIA) analisa se as autoridades estaduais e as instituições que estiveram encarregadas do cuidado dos menores entre 1922 e 1995 cometeram erros enquanto deveriam protegê-los.

Além das Irmãs de Nazaré, os Irmãos De La Salle também pediram perdão pelos abusos a menores que estiveram sob seus cuidados no século passado em centros de amparo da região.

Em 2010, o governo norte-irlandês decidiu iniciar uma investigação independente depois que várias pesquisas realizadas na República da Irlanda revelaram que, nos últimos anos, milhares de crianças sofreram abusos sexuais, físicos e psíquicos desde o começo do século XX.

Os tribunais estabelecidos pelo Executivo de Dublin também denunciaram práticas adotadas pelas autoridades do país e pela Igreja Católica irlandesa para ocultar os maus-tratos e proteger religiosos pedófilos.

Veja também:

Penteado "estilo quarentena" virou coisa do passado
EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade