0

EUA pedem que Bolsonaros fiquem de fora da eleição americana

O presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Estados Unidos rebateu publicação a favor de Trump postada por Eduardo Bolsonaro nas redes sociais

28 jul 2020
08h09
atualizado às 12h37
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Estados Unidos defendeu nesta segunda-feira, 27, que a família Bolsonaro precisa ficar "de fora" das eleições americanas deste ano. A manifestação, que foi feita por meio das redes sociais, é assinada por Eliot Engel, presidente da Comissão.

Deputado pelo partido Democrata, Engel criticou um vídeo publicado pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no qual o filho do presidente Jair Bolsonaro pede "Trump 2020" ao se referir à corrida eleitoral de novembro.

Jair Bolsonaro e Donald Trump fazem pronunciamento durante visita do brasileiro à Casa Branca.
Jair Bolsonaro e Donald Trump fazem pronunciamento durante visita do brasileiro à Casa Branca.
Foto: Isac Nóbrega/Agência Brasil - 19/3/2019 / Estadão Conteúdo

Em resposta, Engel disse que "já vimos este filme antes", o que classificou como "vergonhoso e inaceitável". "A família Bolsonaro precisa ficar DE FORA das eleições dos EUA", concluiu. Formada por maioria democrata, a Comissão presidida por ele é responsável pela legislação e supervisão da política externa do País.

A família Bolsonaro já demonstrou apoio a Trump em diversas oportunidades. O próprio presidente Jair Bolsonaro já se declarou publicamente fã do americano e afirmou torcer por sua reeleição - um gesto que contraria a tradição diplomática de não se envolver em disputas domésticas.

A mesma linha foi adotada por Eduardo Bolsonaro, que no ano passado chegou a ser cotado para a embaixada do Brasil em Washington. Sem apoio no Senado para emplacar seu nome, no entanto, Eduardo acabou desistindo da indicação, que havia sido defendida por seu pai.

Em entrevista ao Estadão neste mês, o ex-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca John Bolton avaliou que, se levar em consideração o interesse do Brasil na relação com os americanos, o presidente Jair Bolsonaro precisa "abrir linhas de comunicação" com o partido Democrata nos EUA.

No momento, o candidato democrata às eleições de novembro, Joe Biden, lidera as pesquisas de intenção de voto em oito pontos percentuais.

Veja também:

Os traumáticos testes forçados de virgindade no Egito
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade