PUBLICIDADE

Coreia do Sul adia reabertura de escolas por avanço de Covid

Novo pico de contaminações acendeu alerta entre autoridades

11 mai 2020 12h36
ver comentários
Publicidade

O governo da Coreia do Sul anunciou que as escolas não serão reabertas na próxima quarta-feira (13), como estava planejado, por conta do aumento nos casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2). Segundo o vice-ministro da Educação, Park Baeg-beom, a decisão foi tomada após uma série de consultas com especialistas sanitários e vem na esteira dos 94 novos casos confirmados no bairro de Itaewon, na capital Seul.

Escolas sul-coreanas permanecerão fechadas após nova onda de casos do novo coronavírus
Escolas sul-coreanas permanecerão fechadas após nova onda de casos do novo coronavírus
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

As autoridades apontam que todas as novas infecções vieram de uma única pessoa, um homem de 29 anos que, frequentando bares, festas e restaurantes da região no fim de semana de 1º de maio, voltou a espalhar a Covid-19 no país.

Só nesta segunda-feira (11), o governo sul-coreano informou 35 novos casos da doença, elevando para 10.909 o número total de infectados.

O país é considerado um exemplo mundial no combate à pandemia.

Em fevereiro, a Coreia do Sul era a segunda nação em número de casos, mas uma ampla testagem dos moradores e o isolamento das pessoas com suspeita da doença - bem como a tradicional disciplina dos cidadãos - fizeram com que o país conseguisse diminuir os números sem precisar recorrer a medidas restritivas mais duras.

O sistema de rastreamento é tão grande que os especialistas conseguem apontar, inclusive, o que causou os primeiros cinco mil casos de Covid-19 no país: a chamada "Paciente 31" foi uma mulher de 61 anos que, mesmo sabendo que estava infectada, não respeitou o isolamento e participou de uma cerimônia religiosa em Daegu. Com isso, ela é apontada como a "responsável" indireta por quase 50% das contaminações.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade