0

Congresso dos EUA e Casa Branca estudam projeto de lei para evitar paralisações do governo

5 nov 2019
19h53
  • separator
  • 0
  • comentários

O Congresso dos Estados Unidos e a Casa Branca estão discutindo uma legislação para manter as agências do governo dos Estados Unidos operando além de 21 de novembro, quando o atual financiamento expirar, com o objetivo de evitar paralisações, conforme os democratas avançam no processo de impeachment do presidente Donald Trump, disseram na terça-feira parlamentares e uma autoridade da Casa Branca.

Senador Richard Shelby
02/05/2019
REUTERS/Joshua Roberts
Senador Richard Shelby 02/05/2019 REUTERS/Joshua Roberts
Foto: Reuters

O presidente do Comitê de Apropriações do Senado, Richard Shelby, um republicano como Trump, disse a repórteres que uma série de datas era possível para o prazo do próximo projeto de financiamento.

Um projeto de lei que durasse até meados de dezembro ou mesmo 2020 é possível. "Minha avaliação no outro dia era que provavelmente iria até fevereiro. Posso estar totalmente errado", disse Shelby sobre um projeto de lei de gastos temporários que será necessário porque o Congresso não terminou o trabalho em nenhum dos vários projetos de lei para o ano fiscal de 2020, que começou em 1º de outubro.

Democratas na Câmara dos Deputados lançaram um inquérito formal de impeachment sobre as ações de Trump relacionadas à retenção da assistência de segurança dos EUA à Ucrânia.

Por volta do final de novembro ou em dezembro, a Câmara pode realizar um debate completo e votar sobre artigos de impeachment contra Trump. Se aprovado pela Câmara, Trump será submetido a um julgamento pelo Senado em um procedimento que pode terminar com sua destituição do cargo se for considerado culpado de qualquer acusação da Câmara.

Ele nega qualquer irregularidade e, como os republicanos controlam o Senado, não há expectativas de que Trump seja afastado do cargo.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade