PUBLICIDADE

Chuvas destroem 17 mil casas na província de Shanxi, na China

Ao todo, governo estima que 1,7 milhão de pessoas foram afetadas

11 out 2021 11h52
| atualizado às 12h16
ver comentários
Publicidade

As fortes chuvas torrenciais que atingem a província de Shanxi, na China, desde a última semana já destruíram mais de 17 mil residências e forçaram a evacuação de 120 mil pessoas, informa a agência estatal Xinhua nesta segunda-feira (11).

O governo estima que cerca de 1,7 milhão de pessoas foi afetada de alguma forte por conta das inundações.

Shanxi é considerada uma das províncias mais secas de todo o território chinês, mas desde o início de outubro, vem sofrendo com muita chuva.

Segundo dados locais, a capital da província, Taiyuan contabiliza já 185,6 milímetros de água desde o início do mês. Para se ter uma ideia, a média histórica entre 1981 e 2010 para outubro é de apenas 25mm.

A região também conta com muitas minas de carvão e as autoridades informam que 60 delas foram fechadas no último fim de semana. Desde o início do mês, já são quase 90 que tiveram a produção interrompida por conta dos riscos de desabamento e inundação.

Os ministérios das Finanças e da Gestão de Emergência anunciaram o envio de cerca de 80 milhões de yuans (cerca de US$ 12,4 milhões) para ajudar Shanxi a se recuperar dos danos.

Legado histórico 

A localidade também é muito conhecida por conta do legado histórico e cultural e, conforme a Xinhua, há mais de mil sítios e monumentos arqueológicos afetados por conta das inundações.

Entre eles, há a antiga cidade de Pingyao, que abrigou as dinastias Ming e Qing, com construções preservadas desde 1370.

Por conta disso, a Administração Nacional para a Herança Cultural vai enviar uma equipe de especialistas para ajudar a província a reduzir os danos provocados pela chuva e para ajudar na "reparação de relíquias culturais".

O governo também anunciou que vai "realocar fundos emergenciais" para o setor. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade