PUBLICIDADE

Brasil pede "suspensão imediata das hostilidades" na Ucrânia

Posicionamentos do Ministério das Relações Exteriores são as primeiras manifestações do governo brasileiro sobre a crise no Leste Europeu

24 fev 2022 - 12h31
(atualizado às 14h48)
Ver comentários
Publicidade
Uma mulher passa por militares ucranianos que guardam uma estrada que leva a um bloco do governo, depois que o presidente russo, Vladimir Putin, autorizou uma operação militar no leste da Ucrânia, em Kiev, Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022
Uma mulher passa por militares ucranianos que guardam uma estrada que leva a um bloco do governo, depois que o presidente russo, Vladimir Putin, autorizou uma operação militar no leste da Ucrânia, em Kiev, Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022
Foto: REUTERS/Umit Bektas

O Ministério das Relações Exteriores divulgou nota pedindo a "suspensão imediata" das hostilidades após a Rússia invadir o território ucraniano. O texto diz que o governo brasileiro acompanha com "grave preocupação" a deflagração de operações militares pela Rússia contra alvos na Ucrânia e pede uma solução pacífica para o conflito.

"O Brasil apela à suspensão imediata das hostilidades e ao início de negociações conducentes a uma solução diplomática para a questão, com base nos Acordos de Minsk e que leve em conta os legítimos interesses de segurança de todas as partes envolvidas e a proteção da população civil", afirma.

A nota é a primeira manifestação oficial do governo brasileiro após o agravamento do conflito. O presidente Jair Bolsonaro ainda não se pronunciou.

Moradores registram impacto do ataque da Rússia à Ucrânia:

O texto ressalta ainda que, como membro do Conselho de Segurança da ONU, o Brasil "permanece engajado nas discussões multilaterais com vistas a uma solução pacífica, em linha com a tradição diplomática brasileira" e na defesa de soluções que considerem "os princípios da não intervenção, da soberania e integridade territorial dos Estados e da solução pacífica das controvérsias".

Mapa do ataque da Rússia contra a Ucrânia
Mapa do ataque da Rússia contra a Ucrânia
Foto: Mapcreator/OSM / Reuters

Orientação para brasileiros

Uma segunda nota foi divulgada com orientações para brasileiros na Ucrânia. De acordo com o texto, a Embaixada do Brasil em Kiev permanece aberta e dedicada à proteção dos cerca de 500 cidadãos brasileiros no País. Nenhum plano de retirada dos cidadãos brasileiros da zona de guerra foi mencionado.

"Solicita-se aos cidadãos brasileiros em território ucraniano, em particular aos que se encontrem no leste do país e outras regiões em condições de conflito, que mantenham contato diário com a Embaixada. Caso necessitem de auxílio para deixar a Ucrânia, devem seguir as orientações da Embaixada e, no caso dos residentes no leste, deslocar-se para Kiev assim que as condições de segurança o permitam", completa.

O Itamaraty disponibilizou para casos de emergência relacionadas ao conflito o número de telefone de plantão consular +55 61 98260-0610.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade