0

Autoridade chinesa diz que alguns protestos em Hong Kong foram "terroristas por natureza"

25 mai 2020
07h49
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O escritório do Ministério das Relações Exteriores da China em Hong Kong afirmou nesta segunda-feira que algumas ações durante os protestos pró-democracia do ano passado em Hong Kong foram "terroristas por natureza" e que "encrenqueiros" conspiraram com forças estrangeiras, impondo "perigo iminente" à segurança nacional.

Xie Feng discursa em Hong Kong
25/05/2020 REUTERS/James Pomfret
Xie Feng discursa em Hong Kong 25/05/2020 REUTERS/James Pomfret
Foto: Reuters

Xie Feng, comissário do Ministério das Relações Exteriores da China em Hong Kong, fez esses comentários durante discurso sobre a proposta de uma lei de segurança nacional em Hong Kong, no qual ele buscou assegurar investidores estrangeiros que eles não serão afetados.

Xie disse que a proposta combate a secessão, subversão, interferência estrangeira e terrorismo e que vai afetar apenas um pequeno número de moradores, enquanto para o restante "não há absolutamente motivo para pânico".

"A legislação vai aliviar as graves preocupações entre as comunidades local e estrangeira de negócios sobre as forças violentas e terroristas", disse Xie.

Os comentários de Xie somam-se ao coro do governo de uma retórica mais dura contra manifestantes na cidade comandada pelos chineses, onde autoridades de segurança citaram casos em que foram usados explosivos "comumente utilizados em ataques terroristas no exterior" como uma preocupação crescente.

A proposta de lei, que também prevê a possibilidade de instalação de bases da inteligência chinesa em um dos maiores pólos financeiros do mundo, derrubou o mercado de ações de Hong Kong na semana passada e foi condenada por governos ocidentais.

Veja também:

Os fatores por trás da popularidade de Jacinda Ardern, reeleita com folga premiê da Nova Zelândia
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade