PUBLICIDADE

Austrália diz que ações "alarmantes" da China contradizem retórica pacifista

26 nov 2021 12h18
ver comentários
Publicidade

As ações "alarmantes" da China contradizem sua retórica sobre a promoção da paz e da prosperidade na região, disse o ministro da Defesa da Austrália nesta sexta-feira depois que um navio da Marinha chinesa foi rastreado atravessando a zona econômica exclusiva do país.

Peter Dutton durante visita ao Sri Lanka  
03/06/2019 REUTERS/Dinuka Liyanawatte
Peter Dutton durante visita ao Sri Lanka 03/06/2019 REUTERS/Dinuka Liyanawatte
Foto: Reuters

O ministro da Defesa, Peter Dutton, listou a militarização chinesa do Mar do Sul da China, a hostilidade recente contra Taiwan e a adoção de uma lei de segurança nacional em Hong Kong como exemplos de ações da China em choque com sua retórica.

"Todos estamos familiarizados com as afirmações frequentes do governo chinês de que está comprometido com a paz, a cooperação e o desenvolvimento", disse Dutton em um discurso em Canberra.

"E ainda assim, testemunhamos um desconexão considerável entre as palavras e as ações. Assistimos atentamente como o governo chinês se envolve em atividades cada vez mais alarmantes."

A embaixada chinesa em Canberra disse que Dutton distorceu a política externa da China, enganou o povo australiano e está "atiçando o conflito e a divisão entre povos e nações".

As relações entre a Austrália e seu maior mercado de exportação atingiram seu pior momento em 2020, quando Canberra apoiou um inquérito da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a origem da Covid-19, que foi detectada primeiramente em solo chinês.

A China reagiu cortando contatos ministeriais e impondo tarifas pesadas a exportações australianas, o que, na prática, anulou um acordo de livre comércio de 2015.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade