0

Mourão diz que Maia é um 'bom nome' na eleição à presidência da Câmara

Maia já tem a seu favor PR, PSDB, PRB, PSD, PPS, DEM, Solidariedade, PSL, PROS, Avante, Podemos, PDT e PCdoB

29 jan 2019
16h04
atualizado às 18h52
  • separator
  • 0
  • comentários

BRASÍLIA - O presidente em exercício, Hamilton Mourão, afirmou nesta terça-feira, 29, ver Rodrigo Maia (DEM-RJ) como um "bom nome" para a presidência da Câmara. Candidato à reeleição, Maia fechou acordo nesta segunda com o MDB, o PP e o PTB, ampliando assim seu escopo de apoio para a recondução do cargo. Aliados do parlamentar acreditam que ele tem chances reais de vencer no primeiro turno.

"Eu acho que é um bom nome. Tem experiência, tem conhecimento do pessoal lá dentro", disse Mourão ao retornar para o Palácio do Planalto nesta tarde. Maia já tem a seu favor PR, PSDB, PRB, PSD, PPS, DEM, Solidariedade, PSL, PROS, Avante e Podemos. PDT e PCdoB também já indicaram apoio.

Sobre a eleição para a presidência do Senado, porém, o general se limitou a dizer que o governo "dialoga com qualquer um, sem problemas". Questionado sobre se dialogaria até mesmo com o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que disputa a vaga internamente em seu partido, Mourão disse: "também, sem problemas".

Apesar de o presidente Jair Bolsonaro ter orientado os integrantes do Executivo a se afastarem das negociações em torno das candidaturas no Congresso, representantes do governo tem atuado nos bastidores para cacifar o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) para vencer o pleito.

Conforme o Estadão/Broadcast Político publicou na semana passada, o ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni enviou o deputado federal Leonardo Quintão (MDB-MG) como emissário para convencer a atual líder do MDB no Senado, Simone Tebet (MS), a desistir de se lançar na disputa. A estratégia seria adotada para manter o senador Renan Calheiros (MDB-AL) como candidato rival e turbinar uma candidatura mais afinada ao Planalto.

Arthur Lira (PP-AL) desiste de concorrer à presidência da Câmara

O líder do PP na Câmara, o deputado Arthur Lira (AL), confirmou sua desistência de concorrer à Presidência da Câmara. Ele anunciou a decisão por meio de sua conta no Twitter. "Diante das dificuldades de construirmos um bloco com partidos de centro-esquerda e após conversar com deputados que defendem minha candidatura, decidi não disputar a eleição para a Presidência da Câmara dos Deputados", escreveu o deputado.

Apesar de circular a notícia de que o partido já teria fechado aliança para a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ), Lira escreveu que o apoio do PP ainda não foi definido. "Em conjunto com os parlamentares do bloco, definiremos até amanhã qual candidatura terá o nosso apoio para o comando da mesa diretora", disse também na rede social. O deputado afirmou ainda que como, líder do partido, trabalhará para garantir a independência da instituição.

Mais cedo, o candidato à Presidência da Câmara pelo MDB, o deputado Fábio Ramalho (MG) afirmou ao Estadão/Broadcast que seu partido irá apoiar a reeleição de Maia para o posto. Ele, no entanto, disse que mantém sua candidatura, como concorrente avulso e afirmou que não vê ameaça com a decisão da liderança da sua legenda. Segundo Ramalho o apoio foi firmado na segunda-feira à noite. Além do MDB, o PP também teria sinalizado a aliança.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade