0

#Verificamos: declaração falsa de Haddad segue "viva" na web

27 set 2018
17h14
atualizado em 28/9/2018 às 12h45
  • separator
  • 0
  • comentários

Na última terça-feira (25) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ordenou a retirada imediata de post que atribuía uma falsa declaração ao candidato à presidência Fernando Haddad (PT). Segundo a publicação, o petista teria dito o seguinte: "Ao completar 5 anos de idade, a criança passa a ser propriedade do Estado! Cabe a nós decidir se menino será menina e vice-versa! Aos pais cabe acatar nossa decisão respeitosamente! Sabemos o que é melhor para as crianças!" Essa frase nunca foi dita por ele.

Foto: Adriana Spaca/FramePhoto / Estadão Conteúdo

O relator da decisão, ministro Carlos Horbach, entendeu que a mensagem tinha "clara intenção de falsear as concepções do candidato representante". "Comentários dessa natureza geram desinformação no período eleitoral e têm a potencialidade de atingir o candidato em sua imagem", escreveu.

Mesmo assim, imagens idênticas à impugnada pelo TSE seguem circulando pelo Facebook (veja aqui, aqui, aqui e aqui), com cerca de 10 mil compartilhamentos somadas. Uma das publicações retiradas do ar, de uma página chamada Cacilda e datada do dia 23 de setembro, já tinha mais de 148 mil compartilhamentos quando o candidato pediu que o conteúdo ofensivo e difamatório fosse removido da internet.

Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que a veracidade desse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

"Ao completar 5 anos de idade, a criança passa a ser propriedade do Estado! Cabe a nós decidir se menino será menina e vice-versa! Aos pais cabe acatar nossa decisão respeitosamente! Sabemos o que é melhor para as crianças!"

Texto que acompanha imagem (aqui, aqui, aqui e aqui) que, até as 13h do dia 27 de setembro de 2018, já tinha mais de 10 mil compartilhamentos no Facebook

Falso

Após uma busca minuciosa, a Lupa não encontrou essa fala - nem qualquer outra de natureza semelhante - proferida por Haddad. Antes mesmo da decisão do TSE, a assessoria do candidato já havia se pronunciado sobre o boato, classificando como "fake news". Publicação no site da coligação Brasil Feliz de Novo, que apoia Haddad, dizia também que o candidato defende "o Estado apoiando as crianças para que cresçam felizes ao lado de suas famílias".

Além da Lupa, o site Aos Fatos e o projeto Estadão Verifica verificaram esta informação.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Veja também:

Agência Lupa
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade