PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Guilherme Mazieiro

Pela segunda vez em 6 meses PF fecha garimpo ilegal com trabalho escravo no Pará

Operação desta terça, 30, encontrou 26 pessoas em condições análogas à escravidão; em agosto, no mesmo local, 9 tinham sido resgatados

30 jan 2024 - 17h19
Compartilhar
Exibir comentários
Trabalhadores em situação análoga à escravidão são resgatados em garimpo ilegal no Pará
Trabalhadores em situação análoga à escravidão são resgatados em garimpo ilegal no Pará
Foto: Reprodução/Polícia Federal PA

Uma operação da Polícia Federal com o ICMBio fechou, nesta terça, 30, um garimpo ilegal de cobre próximo à Vila Nova Jerusalém, em Canaã dos Carajás (PA) - a 800 km de Belém (PA). Durante a ação, 26 pessoas foram resgatadas de trabalho em condições análogas à escravidão. Uma pessoa foi presa por posse ilegal de material explosivo. No mesmo local, em agosto do ano passado, já tinha acontecido uma operação contra o garimpo e resgate de nove trabalhadores em condições análogas à escravidão.

Segundo a PF, a situação a que estavam submetidos os trabalhadores foi comunicada ao Ministério Público do Trabalho. “Com a desativação dos cinco alojamentos do garimpo, foram tomadas as declarações dos trabalhadores, ouvidos no local, e então eles foram liberados para voltarem às suas casas”, informou a comunicação da Polícia Federal.

As imagens divulgadas pela PF mostram alojamentos de chão batido, sem camas e móveis, comportando até 11 redes amarradas. Os alojamentos foram destruídos por maquinários e as minas de extração fechadas.

Alojamento de trabalhadores em condições análogas à escravidão no Pará
Alojamento de trabalhadores em condições análogas à escravidão no Pará
Foto: Reprodução/Polícia Federal PA

Segundo informações da PF, “dois brasileiros e um chinês foram identificados como responsáveis pelo local” e devem responder judicialmente pelos crimes de extração ilegal de minérios, crime ambiental conexo ao garimpo ilegal e redução do trabalhador à condição análoga à escravidão. Os suspeitos de comandarem a extração ilegal não estavam no local durante a operação e seus nomes não foram divulgados.

Mina ilegal de extração de cobre no Pará
Mina ilegal de extração de cobre no Pará
Foto: Reprodução/Polícia Federal PA

Na ação policial, foram apreendidos 100 invólucros de explosivos, um rolo de cordel detonantes, 15 motores, cinco marteletes, três geradores, três motosserras, uma retroescavadeira e uma perfuratriz de sondagem de mais de R$ 1 milhão. Quatorze pontos de extração foram fechados.

Mais de 30 servidores entre policiais federais, militares e agentes do ICMBio participaram da operação, que encontrou sete grandes estruturas de apoio ao trabalho ilegal. A ação teve apoio do do Batalhão de Polícia Ambiental. Esta foi a terceira fase da operação chamada Nova Jerusalém.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade