PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Moraes tira sigilo do inquérito das joias de Bolsonaro e determina análise da PGR

Ministro decidiu nesta segunda, 8, a pedido feito pela Polícia Federal na semana passada

8 jul 2024 - 14h47
(atualizado às 14h47)
Compartilhar
Exibir comentários
Jair Bolsonaro (PL) foi indiciado no caso das joias sauditas
Jair Bolsonaro (PL) foi indiciado no caso das joias sauditas
Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nesta segunda, 8, que a Procuradoria-Geral da República (PGR) analise o relatório da Polícia Federal que pediu o indiciamento do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e de mais 11 pessoas ligadas a ele no caso das joias sauditas. A PGR tem 15 dias para analisar o material.

A fase de indiciamento é quando a polícia (Polícia Federal neste caso) identifica que há elementos de crime. A investigação aponta que Bolsonaro praticou os seguintes crimes: peculato (apropriação de bens públicos), associação criminosa e lavagem de dinheiro. Bolsonaro nega irregularidades e diz que há perseguição contra ele.

Na decisão, o ministro, relator do caso, retirou o sigilo do inquérito e determinou acesso aos advogados dos citados. Caberá à PGR se debruçar sobre o caso e decidir se aprofunda as investigações, arquiva o caso ou avança propondo uma ação judicial. 

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade