PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Lula cobra eficiência em ações no RS, “senão a gente perde credibilidade”

Presidente visitou desabrigados no Rio Grande do Sul e anunciou liberação de R$ 5,1 mil por PIX para famílias afetadas pelas chuvas

15 mai 2024 - 16h54
Compartilhar
Exibir comentários
Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cumpriu agenda no Rio Grande do Sul nesta quarta, 15
Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cumpriu agenda no Rio Grande do Sul nesta quarta, 15
Foto: Ricardo Stuckert / Perfil Brasil

O presidente Lula (PT) disse, durante anúncio de medidas emergenciais para o Rio Grande do Sul, que “as coisas têm que funcionar”, senão as instituições, governantes e a democracia perderão credibilidade. A cobrança por eficiência acontece em meio aos esforços do governo federal para auxiliar na recuperação do estado e na divulgação dessas ações para rebater informações falsas e críticas sobre atuação federal.

“As coisas têm que funcionar, senão a gente perde credibilidade. Senão, as pessoas passam a desacreditar nas instituições, na democracia, nos governantes. E o que que vai acontecer? Uma anarquia, ninguém acredita em ninguém, cada um faz o que bem entende até que o mundo se mate”, disse o petista.

No discurso, o presidente citou um acordo feito pela União em novembro para reconstrução de casas atingidas por chuvas em 2023 e que, segundo ele, até então não foram refeitas.

“No Vale do Taquari aconteceu uma enchente em setembro e fizemos um acordo em novembro. Até hoje não saíram as casas. Se for a burocracia, temos que desmontar a burocracia. Não é possível”, disse Lula.

A declaração aconteceu em São Leopoldo (RS), após visita a famílias atingidas pelas chuvas que estão em abrigos. Acompanharam a agenda e o discurso ministros do governo, o governador do estado gaúcho, Eduardo Leite (PSDB), o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, e o vice-presidente do Tribunal de Contas, Vital do Rêgo. 

“Muitas vezes, o tempo de pensar do cidadão que está com a responsabilidade de liberar o recurso porque ele é um funcionário estatutário não tem o mesmo tempo do cara que está precisando do dinheiro. E como a gente faz com que as coisas aconteçam? A gente conseguiu fazer nessa reunião do governo em que estava presente todo mundo”, declarou.

O governo anunciou que fará um pagamento via PIX de R$ 5,1 mil para famílias atingidas pelas enchentes, além de benefícios e incentivos para compra de imóveis.

DUrante seu discurso, Lula disse que “noção dos problemas que essas pessoas estão passando” e citou momentos em que enfrentou enchentes com familiares nos anos 1960 e 1970 em São Paulo e São Bernardo dos Campos, quando era operário.

Essa foi a terceira viagem do petista ao estado desde o início da tragédia com as enchentes. Até esta quarta, a Defesa Civil contava 149 mortos e 112 desaparecidos.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade