PUBLICIDADE

Dilma é chamada de ditadora e nanicos se enfrentam em debate

29 set 2014 - 06h18
(atualizado às 14h08)
Compartilhar
Exibir comentários

No penúltimo debate entre os candidatos à presidência da República, organizado pela Rede Record na noite deste domingo, as críticas ao governo da petista Dilma Rousseff acabaram sendo o principal foco dos postulantes ao Palácio do Planalto. Além disso, um embate entre Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (Psol) e uma declaração forte de Levy Fidelix (PRTB) em relação ao casamento gay também chamaram bastante atenção durante o programa.

Ainda no primeiro bloco, quando Dilma recebeu direito de resposta por conta de críticas feitas ao seu governo, um dos espectadores presentes na plateia se manifestou. “Está errado isso. Dilma ditadora”, gritou, reclamando da organização do programa. O presidente do PPS Roberto Freire, que apoia a candidata Marina Silva (PSB), reclamou bastante do direito de resposta concedido e, no intervalo entre o primeiro e segundo blocos, deixou seu lugar na plateia com cara de poucos amigos.

Em outras três ocasiões a petista Dilma Rousseff também pediu direito de resposta, mas a organização do evento negou, gerando um misto de aplausos e vaias na plateia. Em uma delas os adversários reclamaram da postura da presidente em discurso na ONU. Segundo eles, a candidata à reeleição sugeriu um diálogo com o Estado Islâmico para cessar o terrorismo.

<p>Dilma e Aécio ficaram lado a lado no debate presidencial</p>
Dilma e Aécio ficaram lado a lado no debate presidencial
Foto: Gabriela Biló / Futura Press

Entre os nanicos, Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (Psol) travaram um embate nos primeiros dois blocos do debate. A discussão começou ainda na primeira parte do programa, quando a candidata não gostou de um sorriso emitido pelo candidato em uma das perguntas. “Não entendi esse ‘rizinho’ quando você disse ‘se eu fosse presidente’. Eu posso ser presidente”, disse Luciana, claramente irritada.

Ainda no primeiro bloco Eduardo voltou a provocar a adversária e disse que a candidata do Psol havia “faltado à aula de história do século XX”, referindo-se à história do PV na política nacional. Prontamente Luciana rebateu e disse que o candidato havia faltado à aula de sociologia. “Não se avança na pauta progressista ao lado da direita”, disse.

Temas e opiniões polêmicas

Legalização da maconha, aborto e casamento gay foram temas bastante comentados pelos candidatos neste penúltimo debate. Porém, os três principais postulantes (Marina Silva, Dilma Rousseff e Aécio Neves) não foram questionados sobre os tópicos. Apesar disso, os nanicos roubaram a cena e deram fortes declarações em relação a esses assuntos.

<p>Levy Fidelix gerou polêmica ao falar sobre a união homossexual </p>
Levy Fidelix gerou polêmica ao falar sobre a união homossexual
Foto: Gabriela Biló / Futura Press

Sobre o aborto, Luciana Genro mostrou sua posição e defendeu a prática. “Ninguém quer o aborto. É um drama para qualquer mulher, mas o Estado não oferece o apoio à mulher diante de uma gravidez indesejada”, afirmou.

Opositores abrem fogo contra Dilma em debate na TV:

Levy Fideliz foi questionado sobre o casamento entre homossexuais e mostrou sua opinião. “Nunca vi dois iguais fazerem filhos. E digo mais. Aparelho excretor não reproduz. Temos que combater essa minoria”, disse o candidato do PRTB, causando risos aos espectadores.

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade