PUBLICIDADE

Candidatos ao governo de SP elevam tom, e cientista compara Elvis a Daciolo

Agressividade, segundo Deysi Cioccari, favorece a atração do voto de eleitores indecisos e pode definir segundo turno

17 set 2022 - 19h32
(atualizado em 18/9/2022 às 10h41)
Compartilhar
Exibir comentários
Cientista política
Cientista política
Foto: Reprodução

Os candidatos ao governo de São Paulo usaram um "tom mais agressivo" durante o primeiro bloco de debate transmitido pelo Terra, na noite deste sábado, 17, na tentativa de alcançarem o voto de eleitores indecisos. A avaliação é da cientista política Deysi Cioccari. 

"A gente está se aproximando do último tempo das eleições, e o que deu para perceber é que eles vão aumentar a agressividade. Isso faz parte do jogo para poder pegar aquele eleitor que está indeciso", disse Cioccari, que comparou Elvis Cezar (PDT) a Cabo Daciolo, candidato à Presidência na eleição de 2018, que se destacou nos debates da época.

"Mas se eu fosse fazer um resumo desse primeiro bloco, eu diria que o Elvis é Daciolo, está usando todos os espaços para poder aparecer. Ele fez até um papel com Tarcísio de Freitas (Republicanos) que deveria ter sido de Rodrigo Garcia (PSDB)", completa.

A cientista política relaciona o "tom incisivo" dos candidatos a uma maior oportunidade de chamar a atenção do eleitorado. Ainda que o espaço para o debate das propostas dos candidatos não seja suficiente para fazer uma reviravolta na corrida eleitoral pelo Palácio dos Bandeirantes, Cioccari afirma ser essencial para a definição de quem vai para o segundo turno.

"Quando está muito morno, a atenção passa despercebida. Quando vão para o ataque, eles mostram os defeitos e isso acaba causando uma reação no eleitor sim", avalia.

Intenções de voto

Fernado Haddad (PT) mantém a liderança na disputa pelo governo de São Paulo com 36% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha divulgada na última quinta-feira, 15. Com 22%, Tarcísio aparece tecnicamente empatado com o governador Rodrigo Garcia, que subiu de 15% para 19%. 

Na projeção de segundo turno, o candidato ligado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria Tarcísio por 54% a 36% e bateria Rodrigo por 47% a 41%. Por outro lado, o candidato petista também lidera as rejeições da corrida eleitoral no estado.

Segundo o Datafolha, 35% dos entrevistados declararam que não votariam em Haddad. O segundo mais rejeitado é Tarcísio, candidato de Jair Bolsonaro (PL), com 27%. Garcia aparece com rejeição de 17%.

Outros debates

O Terra também irá promover, em parceria com SBT, CNN Brasil, Nova Brasil, Estadão/Eldorado e Veja, um debate com os candidatos à Presidência. O evento está agendado para 24 de setembro.

E, em caso de um segundo turno, a data para o encontro entre os dois candidatos mais votados na disputa pelo governo de São Paulo será no dia 15 de outubro. No dia 22 de outubro, será a vez do debate entre os dois candidatos mais votados na corrida ao Palácio do Planalto.

Assista ao debate de SP na íntegra:

1º bloco do debate para o governo de São Paulo:
2º bloco do debate para o governo de São Paulo:
3º bloco do debate para o governo de São Paulo :
4º bloco do debate para o governo de São Paulo:
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade