Entenda o que é e como atua a "bactéria que come carne"

O caso da americana Aimee Copeland, que perdeu as mãos, uma perna e um pé devido a uma infecção, causou comoção e percorreu a imprensa do país e do mundo. O caso dela se junta a outros de pessoas que sofreram pela chamada "bactéria que come carne". Mas o que é esse micro-organismo? Como ele atua? Para o professor Jorge Timenetsky, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB/USP), o termo "comedora de carne" é "inadequado de uma forma acadêmica porque dá chance das pessoas interpretarem cada um de sua maneira", mas não errado do ponto de vista popular.

Aimee perdeu as mãos, uma perna e um pé devido a uma infecção
Aimee perdeu as mãos, uma perna e um pé devido a uma infecção
Foto: Divulgação

O pesquisador afirma que o termo se refere a graves infecções de pele e músculo e que podem ser causadas por uma grande variedade de bactérias - e não uma só. Ele cita, por exemplo, a Streptococcus pyogenes do grupo A de Lancefield. Uma mutação no genoma desse micro-organismo pode fazer com que ele cause uma condição conhecida como fascíite necrotizante. A bactéria ataca as células dos tecidos e secreta um superantígeno, que estimula a resposta imunológica, o que provoca muita inflamação na região.

Chama atenção nesses casos a necessidade, muitas vezes, de amputação. Timenetsky explica que essas infecções dependem de diversos fatores, como o sistema imunológico do paciente. Em pacientes com imunidade baixa, um desses micro-organismos pode invadir o corpo (por isso ela é mais comum em hospitais). "Uma bactéria que faz isso permite que outras bactérias avancem (...) Você tem que fazer uma amputação porque é uma infecção que vai se alastrando", explica.

Mas elas comem carne? Segundo o professor, essas bactérias precisam de nutrientes para se duplicar, então elas buscam eles nas células de pele e músculo.

Fonte: Terra
publicidade