Nome de faculdade conta? Profissionais de RH abrem o jogo

Especialistas de grandes empresas compartilham as exigências do mercado atual

22 jul 2015
09h16
atualizado às 09h54
  • separator
  • comentários

Fundação Dom Cabral, USP, FGV, ESPM, PUC, FAAP. Estas siglas e nomes dizem muita coisa para você? No mercado, são reconhecidas como instituições de peso. Mas até que ponto este nome pode nortear o destino de um candidato? Conversamos com especialistas em Recursos Humanos de grandes empresas, que compartilharam algumas das exigências do mercado atual. Confira.

Siga Terra Educação no Twitter
Siga Terra Notícias no Twitter
 

 
Joana Rudiger , gerente de talentos da Unilever
NÃO!
As experiências de vida ou profissional de uma pessoa contam tanto quanto, sendo algumas vezes ainda mais relevantes que o local de estudo”
Dicas para além da faculdade
  • 1Busque outras atividades que complementem o currículo
  • 2Não se intimide em participar de processos seletivos
  • 3Participe de ações voluntárias vinculadas à universidade ou trabalhe em ‘empresas juniors’

Joana Rudiger conta que, na Unilever, a busca da empresa é por candidatos que tenham paixão e que possam trazer uma visão diferente. “Estas pessoas podem estar em qualquer escola ou faculdade, portanto, o nome da faculdade não é um ponto crucial na hora de avaliar um currículo. Muitas vezes a experiência profissional substitui a credencial que uma faculdade de renome pode imprimir”, analisa.

A especialista destaca também a importância de se investir nos próprios talentos. “Desenvolver suas habilidades para que elas sejam um diferencial é também uma forma de ser percebido como um talento em potencial para muitas empresas”, pontua.

 
Roberta Dutra , supervisora de recrutamento e seleção da White Martins
NÃO!
Estudar em uma universidade pública não garante lugar no mercado de trabalho. Avaliamos o currículo dos candidatos como um todo. Presencialmente, analisamos características comportamentais como a inteligência emocional, que é um ponto muito importante”
Dicas para além da faculdade
  • 1Valorize a fluência em outros idiomas, especialmente o inglês
  • 2Vá além do estudo e invista em sua formação, realizando atividades extracurriculares que complementem as suas experiências

Para Roberta Dutra, “conquistar uma vaga depende mais da dedicação e do objetivo de cada um do que da instituição de ensino em que foi concluída a graduação”.

A profissional reconhece que as universidades de prestígio têm uma grande contribuição na formação técnica dos profissionais, mas afirma que na White Martins o que é levado em conta é a soma do conhecimento técnico com as habilidades comportamentais.

 
Samuel Lopes , consultor especialista de RH e sócio da TIEX, consultoria de serviços corporativos
SIM!
A formação de nível superior em uma faculdade de renome tem sim peso, especialmente para as posições em que ainda não existe um nível de experiência vasto ou consolidado. Dizer que uma boa faculdade não é um bom cartão de visita nas empresas seria a mesma coisa que dizer que não existe diferença entre investir ou não em educação”
Dicas para além da faculdade
  • 1Seja eclético, ético, disponível, motivado e interessado
  • 2Invista em formações adicionais, como pós-graduação, MBAs, cursos de formação e outros
  • 3Entenda mais, pesquise mais, questione mais, cobre mais dos seus professores. “Quem se faz é o aluno”

Samuel Lopes discorda das demais fontes ouvidas e diz que sim, o nome da instituição pesa muito no currículo. “USP, FGV, ESPM, PUC, FAAP, Fundação Dom Cabral são sempre nomes de instituições que saltam aos olhos e que criam altas expectativas quando das entrevistas com os candidatos.”

No entanto, ele reforça que a instituição não é o único ponto a ser avaliado em um currículo e jamais garante uma vaga ou o crescimento em uma organização. “O profissional nunca pode parar de querer adquirir conhecimento. Educação é investimento”, crava.

 
Cátia Porto , diretora de RH da Souza Cruz
NÃO!
Uma faculdade bem avaliada e que ofereça de fato bons cursos pode preparar melhor o aluno para alcançar bons resultados no processo de seleção, e posteriormente, no trabalho. Mas não é determinante”
Dicas para além da faculdade
  • 1Esteja conectado com tendências e práticas atuais
  • 2Mantenha uma boa rede de relacionamento com pessoas de outras universidades e cursos
  • 3Busque atividades extracurriculares dentro e fora da faculdade
  •  

Cátia afirma que, na Souza Cruz, não é feito um filtro por faculdade. “Buscamos jovens com capacidade de desenvolvimento e crescimento em um ambiente desafiador”, afirma. Além da fluência em inglês, a companhia também valoriza competências alinhadas à cultura da empresa, “como aprender rápido e ser ágil, ter resiliência e ser motivado por desafios”.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade