Entenda como funciona o Sisu

Descubra como funciona o Sisu e o que você precisa fazer para conseguir entrar na universidade pública sem fazer o vestibular!

31 mai 2017
11h26
  • separator
  • comentários

Todo semestre, o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre inscrições para vagas em universidades públicas. O processo do Sisu é totalmente informatizado e usa a nota do Enem para classificar os candidatos, que não precisam fazer o vestibular tradicional.

Para se inscrever no Sisu, é obrigatório ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano imediatamente anterior e não ter zerado na redação.
Para se inscrever no Sisu, é obrigatório ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano imediatamente anterior e não ter zerado na redação.
Foto: Mundo vestibular

O Sisu oferece centenas de milhares de vagas gratuitas em todo o Brasil e as inscrições abrem duas vezes por ano: em janeiro e em junho.

Descubra como funciona o Sisu e o que você precisa fazer para conseguir entrar na universidade pública sem fazer o vestibular!

Inscrição do Sisu

As inscrições do Sisu são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente pela internet, na página oficial do programa ( sisu.mec.gov.br ).

Para se inscrever no Sisu, é obrigatório ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano imediatamente anterior e não ter zerado na redação.

Como funciona o Sisu

O Sisu é um sistema totalmente informatizado, que não envolve provas ou inscrições presenciais: tudo é feito pela internet, no site sisu.mec.gov.br .

O candidato a uma vaga em universidade pública se inscreve no Sisu usando o mesmo número de inscrição e senha que utilizou para participar da última edição do Enem. Ou seja, para fazer o Sisu em 2015, usa-se o número de inscrição do Enem 2014. Se você só fez o Enem em um ano diferente daquele que foi solicitado pelo Sisu, o sistema não aceita a inscrição.

O Sisu recupera automaticamente as notas que o candidato obteve no Enem e começa a selecionar os melhores para preencher as vagas de um mesmo curso, faculdade, turno e modalidade de concorrência (cotas ou ampla concorrência). O candidato com maior pontuação do Enem ocupa a primeira vaga, aquele que tiver a segunda maior pontuação ocupa a segunda vaga e assim por diante, até que todas as vagas disponíveis sejam preenchidas.

Por isso, quanto maior a pontuação no Enem, maiores as chances de passar no Sisu.

Nota mínima para concorrer ao Sisu

Para acessar o sistema de inscrições do Sisu, basta não ter zerado na redação do Enem. Porém, para concorrer a determinadas vagas , pode haver uma exigência de desempenho mínimo no Exame.

Isso porque as universidades têm o direito de pedir notas mínimas no Enem para disputar uma vaga em seus cursos. Essa informação aparece no sistema do Sisu. Caso escolha um curso que pede uma pontuação maior do que a sua, você pode optar por outro curso ou faculdade que aceite a sua nota do Enem.

Pesos diferentes para as notas do Enem

Além de poderem exigir uma pontuação mínima no Enem para concorrer a determinados cursos, as universidades participantes do Sisu podem dar pesos diferentes às notas das provas do Enem. Por exemplo: um curso de Engenharia pode atribuir um peso maior para as notas de Matemática, enquanto um curso de Letras pode dar um peso maior para as provas de Redação e Linguagens.

Quando isso acontece, o sistema calcula automaticamente as notas do candidato e dá a ele uma nova pontuação de acordo com o peso de cada prova para aquela vaga. Por isso, pode ser que a sua pontuação geral mude, dependendo do curso que escolher no Sisu.

Cotas do Sisu

Todas as instituições federais participantes do Sisu oferecem vagas reservadas para estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas. A quantidade de vagas para cotistas pode variar entre as universidades e essa informação aparece no sistema do Sisu.

Quem opta por participar das cotas do Sisu concorre somente com outros candidatos que também escolheram entrar pelas cotas, para o mesmo curso, universidade e turno.

Existem também cotas para candidatos afrodescendentes e indígenas, além de outras "ações afirmativas" (vagas para quilombolas e pessoas com deficiência, por exemplo). As vagas para ações afirmativas não são uma obrigação legal, as universidades podem escolher oferecer esse tipo de benefício.

Vale lembrar que o candidato tem o dever e a responsabilidade de garantir que os dados informados são verdadeiros, que cumpre os requisitos para participar das cotas ou ações afirmativas e que possui os documentos necessários para comprovar sua condição de cotista.

A lista de documentos para comprovação de renda, escolaridade e demais situações aparece no sistema do Sisu. Cada universidade pode exigir um conjunto diferente de documentos para a efetivação da matrícula.

Acompanhamento diário das notas de corte do Sisu

A partir do segundo dia de inscrições, o Sisu calcula e divulga as notas de corte parciais para entrar em cada curso com base nas notas que os concorrentes obtiveram no Enem e nas vagas disponíveis para um mesmo curso, turno, universidade e modalidade de concorrência.

Dessa forma, o candidato pode consultar as notas de corte e verificar se tem pontuação suficiente para conseguir aquela vaga. Caso não tenha nota suficiente para passar, o Sisu permite mudar de curso quantas vezes quiser enquanto as inscrições estiverem abertas. Será considerada sempre a última opção que o candidato salvou no sistema.

Divulgação do resultado do Sisu

O processo seletivo do Sisu é totalmente automatizado e dura cerca de uma semana .

As inscrições normalmente abrem em uma segunda-feira e encerram em uma quinta-feira (em janeiro e em junho). Quando encerra o prazo das inscrições, o sistema classifica os candidatos com melhor desempenho no Enem para cada curso, turno, faculdade e modalidade de concorrência.

A divulgação do resultado acontece na segunda-feira seguinte e os selecionados precisam fazer a matrícula pessoalmente na universidade para não perder a vaga.

Quando sobram vagas após o período de matrícula, o Sisu abre inscrições para uma Lista de Espera.

O que fazer se não conseguir entrar no Sisu?

O Sisu faz parte de um conjunto de iniciativas do Governo Federal para facilitar o acesso ao ensino superior, todas elas vinculadas ao desempenho no Enem. Se você atingiu pelo menos 450 pontos no Exame, mas o curso dos seus sonhos tem uma nota de corte muito maior que isso no Sisu, uma alternativa é tentar uma bolsa de estudos pelo Programa Universidade para Todos (ProUni). Ao contrário do Sisu, o ProUni seleciona alunos para universidades privadas e é preciso preencher alguns requisitos de escolaridade e renda.

Somente universidades reconhecidas e bem avaliadas pelo Ministério da Educação (MEC) podem participar do ProUni.

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer cursos de graduação que costumam oferecer vagas pelo ProUni:


Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer cursos de graduação que participam do ProUni e também têm seus próprios programas de bolsas e descontos especiais:

-Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
-Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)
-Universidade de Franca (UNIFRAN)
-Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)

-União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME)
-Faculdade Pitágoras

-Universidade Estácio de Sá

Veja também:

-Sisu

-Inscrição do Sisu

-Sisu: Perguntas e Respostas

Mundo vestibular

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade