Enem 2020: Inep muda resposta em questões sobre racismo

Nas redes, candidatos questionaram respostas dadas inicialmente e apontaram alternativas consideradas racistas

28 jan 2021
12h45
atualizado às 13h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) alterou o gabarito de questões na prova de Linguagens do Exame Nacional do Ensino Médio (2020) nesta quinta-feira, 28. Nas redes sociais, candidatos criticaram a primeira versão do gabarito, publicada na quarta pelo instituto, e apontaram haver racismo estrutural nas respostas até então dadas como certas. Na publicação das novas respostas, o Inep não mencionou as acusações.

 Estudantes deixam a Faculdade UNIP Jaguaré em São Paulo (SP), neste domingo (24), após realizarem a segunda prova do ENEM 2020.
Estudantes deixam a Faculdade UNIP Jaguaré em São Paulo (SP), neste domingo (24), após realizarem a segunda prova do ENEM 2020.
Foto: Ronaldo Silva / Futura Press

Na prova de Inglês, uma questão trazia um trecho do romance Americanah, da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. Na cena retratada na passagem, a cliente recusa a oferta da cabeleireira de alisar seu cabelo e opta pelas madeixas naturais. No primeiro gabarito dado pelo Inep, o posicionamento da cliente era marcado por argumentos que "demonstram uma postura de imaturidade". Agora, na nova versão, a alternativa correta é "revelam uma atitude e resistência".

Em outra questão, sobre o processo de contratação em empregos, é apontada a discriminação feita por inteligências artificiais, que exclui candidatos pela origem racial, baseando-se no sobrenome e local de nascimento. Na primeira versão do gabarito, as tecnologias de informação eram vinculadas à linguagem. Na nova, estão ligadas ao preconceito.

Reveja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade