PUBLICIDADE

Conheça o benefício de viagens em que a empresa paga parte dos custos para os funcionários

O empresário Bruno Carone detalha ao Terra como funciona a Férias & Co, que viabiliza que patrões ajudem nas viagens dos funcionários

9 fev 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Empresário desenvolveu a Férias & Co, um benefício para que empregado e patrão desembolsem mensalmente uma quantia para ser usada em viagens. Em seu primeiro ano, 50 empresas aderiram ao serviço, no ano seguinte, cresceu para 130, totalizando 8 mil assinantes.
Foto: GettyImages

Somente o vale-refeição e o vale-alimentação para funcionários de empresa já são coisa do passado. Agora, muitas empresas estão atrás de inovar nos benefícios dados a seus trabalhadores para reter, principalmente, aqueles mais qualificados.

Já há alguns anos se tornaram populares os benefícios corporativos que oferecem academia a menor preço, atendimento psicológico gratuito ou até a flexibilização do horário de trabalho. Mas o empresário Bruno Carone quis ir além: “Por que não um benefício de viagem?”.

A partir de meados de 2019, ele começou a desenvolver a ideia da Férias & Co, que foi lançada no mercado em 2022, já passada a pandemia de covid-19. O benefício funciona de forma similar a um plano de saúde, em que o empregado e o patrão desembolsam mensalmente uma quantia. A diferença é que esse valor vai se transformando em créditos para que o funcionário possa usar em viagens.

“É como se você acessasse uma Booking, uma Decolar ou qualquer outro site que você já faz as suas reservas online. A diferença é que a sua empresa paga parte dessa conta”, explica Carone.

Por exemplo:

  • O funcionário pode escolher um plano que ofereça a ele, no final de 12 meses, o valor de R$ 4.800 para ser usado em uma viagem;
  • Mensalmente, terá que ser depositado R$ 400 na plataforma, sendo que o funcionário vai pagar um valor X e a empresa adicionará Y;
  • O valor pago pela empresa varia de acordo com o plano escolhido por ela. Pode ser que a empresa escolha colaborar com metade dos custos, menos ou mais que isso, ou até mesmo limitar a colaboração a determinado valor.

“Dentro de uma mesma empresa, em que a companhia paga, por exemplo, R$ 100 por mês, vai ter funcionário que vai pegar o plano básico que vai dar a ele R$ 1.200 de crédito, que é 100 vezes 12. E aí, ele vai poder utilizar para fazer as viagens dele sem pagar nada. Já tem funcionário que vai querer colocar mais R$ 100 por mês e ter R$ 2.400, tendo o dobro de crédito. Têm funcionários que pegam créditos maiores. Então, a empresa define essa partilha mensal que ela faz para o colaborador”, exemplifica Carone.

Depois, o funcionário poderá escolher, dentro da plataforma Férias & Co, como ele quer alocar seus créditos. O empresário Bruno Carone explica que há opções de hospedagem, no Brasil e fora também, além de passagem aérea. “É um crédito que fica disponibilizado e você faz o que você quiser em termos de viagens”, diz.

Ele explica ainda que o benefício pode ser dividido com familiares, ou seja, uma pessoa que tenha direito aos créditos da Férias & Co pode usá-los para comprar uma passagem para seu cônjuge, por exemplo.

Adesão crescente

No primeiro ano da Férias & Co, 50 empresas adquiriram o serviço, totalizando cerca de 2 mil assinantes do benefício. No ano seguinte, em 2023, Carone conta ter finalizado o período com 130 empresas parceiras - somando 8 mil assinantes.

Para o empresário, a tendência é que a plataforma de benefício corporativo se expanda ainda mais nos próximos anos. Ele acredita que as empresas estão buscando ampliar as vantagens dadas aos funcionários num movimento em que o mundo tem dado mais ênfase à qualidade de vida. “Principalmente depois da pandemia, as pessoas querem um maior equilíbrio entre vida pessoal e vida profissional. Então, as empresas também estão olhando muito para isso”, considera.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade