PUBLICIDADE

Como trabalhar fora do Brasil? Confira e-book com dicas para vagas no exterior

Conheça países com oportunidades para brasileiros e caminhos para levar sua carreira para outros destinos

16 mai 2024 - 18h10
(atualizado às 18h31)
Compartilhar
Exibir comentários

Cristiane transformou uma curta temporada de três meses em quase duas décadas de Suíça. Ana encontrou equilíbrio entre as vidas pessoal e profissional na Finlândia. Felipe quer que os filhos aproveitem a liberdade que têm na Irlanda. Esses são alguns dos 4,5 milhões de brasileiros que vivem no exterior, de acordo com dados mais recentes do Ministério das Relações Exteriores, número que só vem aumentando desde 2016 e deve continuar a crescer.

Quer fazer como eles? E-book com 74 páginas que você pode baixar aqui - e que é exclusivo para assinantes do Estadão - dá o caminho das pedras.

Levantamento feito pela RealTime Big Data mostra que 67% dos brasileiros entre 16 e 35 anos sairiam do Brasil se pudessem. Segundo a pesquisa, que ouviu 1.000 pessoas entre 16 e 35 anos em 117 cidades de todo o País, 18% admitem estar decididos a buscar alternativas no exterior ainda em 2024. Dois anos atrás, esse número era de 55%, de acordo com a pesquisa Branding Brasil. Eles deixam o País pelos mais variados motivos, mas empregos mais atraentes financeiramente, segurança e qualidade de vida estão entre os objetivos principais.

Estados Unidos (disparado), Portugal e Paraguai são os destinos mais procurados, mas cresce também a busca por lugares diferentes, como Luxemburgo, que abriga uma comunidade de 10 mil brasileiros, segundo o Itamaraty, e Islândia, com menos de 300. Em qualquer lugar escolhido, no entanto, viver longe de seu país não é fácil - mas nós temos vantagens. "O brasileiro tem uma habilidade incrível de adaptação, improvisação e competência social. Essas características os tornam muito bem-vindos", afirma o cônsul de Luxemburgo, Jan Eichbaum.

Nós fomos ouvir as histórias de pessoas que falaram como é viver em oito países diferentes, com as alegrias e os perrengues cotidianos. Do idioma às diferenças culturais, passando por jornadas de trabalho mais flexíveis e até desafios do clima, eles contaram o que gostariam de ter ouvido antes de embarcar. Um spoiler: não é simples nem fácil, mas quase sempre vale a pena. Também reunimos informações sobre o mercado de trabalho de cada país citado, onde buscar vagas, as médias salariais e o custo de vida de cada lugar. Ótima leitura!

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade