PUBLICIDADE

Carreira em alta: gestor de tráfego ajuda empresas a bombar na internet; o que faz e quanto ganha?

Profissionais otimizam visibilidade das empresas no mundo on-line e alcançam salários de até R$ 18 mil, impulsionados pela crescente demanda no mercado digital

2 abr 2024 - 09h40
Compartilhar
Exibir comentários

Num cenário em que a presença digital se tornou essencial para empresas de todos os tamanhos, profissionais especializados em gerenciamento de tráfego online estão se destacando, desempenhando um papel crucial na maximização do alcance e eficácia das campanhas de marketing digital.

Segundo pesquisa do LinkedIn, a profissão de gerente ou gestor de tráfego, responsável pelo gerenciamento de anúncios e criação de campanhas nas redes sociais e no Google, está entre as mais buscadas pelas empresas.

Os gestores de tráfego são responsáveis por:

  • Otimizar a visibilidade online de uma empresa, utilizando uma variedade de ferramentas e estratégias;
  • Planejar a distribuição de conteúdos e anúncios em mídias digitais;
  • Gerenciar anúncios pagos em plataformas como Google Ads e Facebook Ads;
  • Mensurar resultados das campanhas e administrar a verba de anúncios pagos;
  • Analisar dados para identificar tendências e oportunidades;
  • Ajustar estratégias para maximizar o retorno sobre o investimento (ROI);

A pesquisa, divulgada em janeiro, analisou a demanda de buscas no período de 2019 a 2023, dando destaque para a alta demanda desse profissional, que se tornou essencial para empresas e empreendedores que divulgam seus serviços e produtos na internet, principalmente nos setores de serviços de publicidade, consultoria e serviços empresariais, tecnologia, informação e internet.

Quais as habilidades de um gestor de tráfego e quanto ganha?

As principais habilidades que um gestor de tráfego precisa ter são:

  • Capacidade de interpretar dados, utilizando ferramentas analíticas para tomar decisões estratégicas;
  • Compreensão profunda das diferentes plataformas de publicidade online, como Google Ads, Facebook Ads, LinkedIn Ads, entre outras;
  • Afinidade com números;
  • Conhecimento de testes e otimização, ajustando elementos como copywriting, segmentação e design para maximizar o desempenho;
  • Visão de marketing para desenvolver estratégias inovadoras e alcançar metas de negócios, adaptando-se a mudanças no ambiente digital e antecipando tendências;
  • Capacidade de comunicar resultados, recomendações e insights de forma clara e concisa;
  • Disposição para acompanhar as mudanças no cenário digital, experimentar novas estratégias e ferramentas e investir em educação contínua para aprimorar suas habilidades.

À medida que a demanda por habilidades digitais continua a crescer, os salários para os gestores de tráfego estão atingindo novos patamares.

"A carreira é muito rápida. Quando eu comecei em 2016, em um ano eu já estava faturando R$ 1 milhão por ano. Hoje em dia tem mais competição, mas há 8 anos era um oceano azul, era ótimo", afirma Filipe Adam, CEO da Rocketship, agência especializada em tráfego pago.

Com base no site sobre empregos Glassdoor, a média salarial é de R$ 6.183 por mês. A remuneração variável no Brasil é de R$ 3.659, variando entre R$ 1.039 e R$ 13.337, e podendo alcançar até R$ 18.000, dependendo de experiência e cargo.

"Na minha empresa, tenho gestores de tráfego muito experientes que ganham R$ 15.000. Aqui, um analista júnior ganha entre R$ 2.000 e R$ 3.000, um pleno de R$ 4.000 a R$ 6.000, e um sénior entre R$ 8.000 e R$ 10.000 em média. Um líder de operação com bastante experiência pode chegar a ganhar R$ 18.000, mas precisa dominar um pouco mais de gestão de projetos", conclui Adam.

O Estadão conversou com profissionais da área, que relataram suas experiências. Veja a seguir.

Ana Clara Soares, 27 anos, gestora de tráfego na agência Nairuz

Há 5 anos, a carioca formada em publicidade, se mudou para o interior de São Paulo para trabalhar na área. Começou sem nenhuma experiência com gestão de tráfego, aprendeu no dia a dia da agência e por meio de cursos.

Ela iniciou sua carreira trabalhando com pequenos negócios, lidando com orçamentos modestos para campanhas publicitárias. Atualmente, ela tem clientes de maior porte, porém sua base foi construída atendendo às necessidades dos clientes do comércio local, que não dispõem de orçamentos milionários para campanhas.

Erica Hans, 38 anos, CEO da agência Social Media Studio

Aos 22 anos, deu início a sua trajetória na agência de marketing digital do empresário Roberto Justus. Hoje, aos 38 anos, ocupa a posição de CEO em uma agência especializada em estratégia de redes sociais e gestão de tráfego pago no interior de São Paulo, em Sorocaba.

Ela diz que é possível ser autodidata e aprender muita coisa de graça sobre o setor. Destaca que é preciso conhecer marketing a fundo e entender seu público.

Mikhael Chrum, 30 anos, gerente de tráfego na Rocketship

O engenheiro eletrônico e missionário em Cascavel, Paraná, entrou no mercado de tráfego pago em 2020, após anos atuando no setor automotivo. Ele buscou outro segmento de atuação para continuar na sua cidade sem precisar se mudar para as grandes metrópoles, mas ainda assim teve um crescimento na carreira.

Como se qualificar para a profissão?

"A profissão veio exatamente dessa facilidade. Para ser um gestor de tráfego, não existe algo oficial do MEC, uma graduação, a barreira de entrada é muito pequena. Em geral, você aprende com cursos, tem muita coisa gratuita já", afirma Adam.

"Se a pessoa tem uma certa afinidade com números, ela consegue com mais facilidade. Tem muito profissional de exatas nesse mercado. Essas pessoas pegam muito rápido. Com estudo, em um mês, é possível aprender e atingir um nível intermediário", completa.

Para se destacar nesse campo, os aspirantes podem investir em formação com cursos da área.

Confira abaixo algumas opções de plataformas que oferecem cursos de gestão de tráfego:

Cursos gratuitos

1. Meta Blueprint;

2. Google Academy;

3. Pedro Sobral;

Cursos Pagos

1. Udemy

2. ComSchool

3. Harve

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade