PUBLICIDADE

Mercado corporativo brasileiro tem apenas 3% de CEOs mulheres

Estudo da Bain & Company, realizado em parceria com o LinkedIn, mostra como a presença feminina ainda é fraca

11 mar 2021
15h09 atualizado às 15h13
0comentários
15h09 atualizado às 15h13
Publicidade

No mundo corporativo, as mulheres já comemoram algumas vitórias, porém ainda existem barreiras que devem ser superadas para que a participação feminina seja mais representativa.

Foto: DINO / DINO

Um estudo realizado pela consultoria Bain & Company, em parceria com o LinkedIn, aponta que somente 3% dos líderes empresariais das 250 maiores empresas brasileiras são mulheres. Os dados ainda revelam que, para 82% das mulheres e 66% dos homens, alcançar a igualdade de gênero deveria ser uma das cinco principais prioridades para as companhias.

Apesar disso, existem empresas que já investem no caminho da equidade de gênero e inserção de mulheres em cargos de liderança. A Planet Smart City, líder global em cidades inteligentes inclusivas, acredita no potencial da sua CEO, Susanna Marchionni, para aumentar a participação feminina no mundo corporativo.

Com a ousada missão de transformar vidas através de cidades inteligentes e inclusivas, a Planet Smart City chegou ao Brasil no ano de 2015 pelas mãos de Susanna Marchionni, CEO da empresa no país. Desenvolvendo infraestrutura de alto padrão aliada à inovação social e digital, com preços acessíveis, o projeto já caminha a passos largos no Ceará, Rio Grande do Norte e em São Paulo. A representante nacional e cofundadora da Planet atua na contramão de lideranças tradicionais apostando no engajamento e no empoderamento das pessoas para fazer a diferença.

Nascida em Turim, na Itália, Susanna vive sem se limitar às fronteiras. Mesmo tendo morado a vida toda na Europa, decidiu se mudar para o Brasil, aprender a falar português e renovar o mercado imobiliário brasileiro: "Em 2011, quando estávamos buscando o lugar para realizar o projeto piloto da Planet no mundo, vi uma reportagem da revista britânica The Economist, que afirmava que a região do Complexo Portuário do Pecém era uma das dez melhores do mundo para investir. Imediatamente, fui visitar a área e, em seguida, a Planet encomendou um estudo da Universidade de Milão, que constatou uma região de grande desenvolvimento econômico e com grande déficit habitacional, ou seja, o local ideal para o nosso projeto", lembra a CEO.

Mesmo em um mercado majoritariamente masculino, Susanna afirma nunca ter se intimidado: "Sempre pratiquei esportes e isso me ensinou que o sacrifício e a disciplina geram resultados que não estão ligados ao gênero. Por isso, onde quer que eu esteja, eu sempre lido de forma firme, independentemente de quem está na minha frente". O resultado é o grande sucesso da Planet no Brasil, que atua hoje em cinco projetos nacionais e tem grandes metas: "Com sede em Londres, operando também na Itália, na Índia e nos Estados Unidos, trabalhamos com o objetivo de chegar à marca de dez projetos no Brasil nos próximos dois anos e iniciar atividades em novos países, como a Colômbia. Nas cidades do futuro, as pessoas não irão comprar apenas lotes e casas, mas todos os serviços compartilhados que estão ao seu redor", conta a executiva.



Website: https://planetsmartcity.com.br/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade