1 evento ao vivo

Bitcoin: por que comprar? Por que não comprar?

5 fev 2018
13h47
atualizado às 15h36
  • separator
  • comentários

Segundo estudo da professora Susan Athey da Universidade de Stanford, o Bitcoin alcançou relevância a partir de 2013 em razão da movimentação de valores monetários significativos. Ainda assim, o estudo considera difícil definir com precisão o Bitcoin: protocolo, moeda, sistema de pagamento e plataforma tecnológica são algumas das possibilidades.

Foto: DINO

Neste conteúdo, estão relacionados os 3 principais atrativos e impeditivos do bitcoin para investidores iniciantes.

"Os 3 Atrativos Principais Para Começar a Investir em Bitcoins"

ATRATIVO #1. TECNOLOGIA

Serge, fundador da Escola Bitcoins, ouviu falar sobre Bitcoin logo nos primeiros anos, em 2009/2010. "Não dei a mínima atenção ao assunto até o primeiro trimestre de 2017, quando finalmente resolvi 'saber qual é'", disse ele, que começou seus estudos pela ótica da tecnologia. Deparou-se com conceitos como Peer-to-peer, Mineração, Prova de Trabalho, Criptografia, Hash Power, Blockchain. "Nossa! Complicado isso...", pensou.

O Bitcoin envolve muitos termos técnicos, cujo principal objetivo é permitir que se estabeleça uma rede de milhares de computadores espalhados pelo mundo, contendo a cópia completa (e inalterável) de todas transações executadas.

ATRATIVO #2. ECONOMIA

O Bitcoin se propõe a ser uma moeda digital, uma forma de transmitir dinheiro entre pessoas através da internet. Especula-se uma possível ruptura no sistema financeiro tradicional, porque no Bitcoin não há intermediários. A tecnologia do Bitcoin viabiliza a chamada "Confiança Distribuída".

Há diversos aspectos econômicos a analisar:

- possibilidade de valorização ou desvalorização;
- uso de bitcoin para fazer pagamentos como comprar um cafezinho (ou um apartamento!);

dentre muitos outros.

ATRATIVO #3. FILOSOFIA

Há uma "filosofia libertária" embutida no Bitcoin. Nenhum país, empresa, órgão fiscalizador, banco... ninguém controla o bitcoin.

O Poder está na mão as pessoas que mantém o código do Bitcoin e colocam as suas máquinas a serviço da rede.

Essa filosofia vem causando preocupações a governos e bancos, e resultando em regulamentações e mesmo tentativas de banir o uso da criptomoeda.

JUNTANDO TUDO

A combinação de Tecnologia, Filosofia e Economia vem despertando maior interesse no mercado.

Até pouco tempo, o bitcoin era restrito a nerds, economistas e entusiastas. Recentemente o interesse das pessoas aumentou, revelando possibilidades de lucros expressivos.

Alguém que tivesse comprado 1 bitcoin em março de 2017, teria pago aproximadamente R$3.500. Se tivesse vendido este mesmo bitcoin em meados de dezembro do mesmo ano, teria conseguido quase R$70.000. Ou seja, 20 VEZES o valor investido. Este tipo de resultado é muito incomum em mercados tradicionais, o que desperta interesse (e desconfiança) das pessoas.

"Os 3 Impeditivos Principais Dos Potenciais Investidores Em Bitcoins".

IMPEDIMENTO #1. EU NÃO ENTENDO

Entender os conceitos tecnológicos, econômicos e filosóficos do bitcoin envolve lidar com toda a (des)informação espalhada na internet, que torna difícil juntar as peças do quebra-cabeça e entender como o Bitcoin funciona. Por não entender direito, muitas pessoas sentenciam: "Eu não entendo esse negócio de bitcoin, eu não vou colocar meu dinheiro nisso".

IMPEDIMENTO #2. EU NÃO CONFIO

O impedimento número 2 é muitas vezes derivado do primeiro. É comum ver o bitcoin ser rotulado como "coisa de Hacker", "Bolha", "Pirâmide Financeira", etc. De fato, existem riscos: golpes, mau uso, roubo de senha, erros operacionais, ataques. E para todos esses riscos há medidas de segurança que você pode tomar.

Como muitas pessoas não conhecem estas medidas, acabam não investindo. Enquanto isso, o tempo (e as oportunidades) vão passando...

IMPEDIMENTO #3. AGORA É TARDE

O Bitcoin levou 7 anos para romper a barreira dos US$1000. Até 2016 muita gente acreditava que esse era o limite. Mas todos viram o que aconteceu em 2017!

Muitos especulavam "se" ele chegaria a US$10.000 no final do ano. Isso ocorreu em novembro. Em menos de 1 ano o bitcoin chegou a multiplicar 20 VEZES o seu valor, superando o valor de 20 mil dólares em dezembro de 2017.

Embora nas semanas seguintes tenha sofrido correções (que são comuns após altas bruscas), ainda é um crescimento significativo. Quando o Serge começou, o bitcoin ainda valia U$ 1000,00.

O Bitcoin tem uma característica muito importante que afeta diretamente o seu valor. Bitcoin é escasso por definição. Daí a comparação comum que se faz ao denominar o bitcoin de "Ouro Digital", pois o ouro também é escasso.

Já está determinado: serão criados um total de 21 milhões de bitcoins no mundo, sendo que 80% desses 21 milhões já estão em circulação. Em média a cada quatro anos, a quantidade de novos bitcoins criados cai pela metade. A tecnologia bitcoin garante que essas regras sejam respeitadas.

É comum que algo escasso seja bastante valorizado, como visto no caso do ouro. Diferentemente de moedas tradicionais, que os governos "imprimem" sempre que julgam necessário, o Bitcoin tem natureza deflacionária, ou seja, por conta do limite de criação da criptomoeda, não há desvalorização por excesso de dinheiro circulando no mercado.

É difícil estabelecer um limite para o valor máximo que o Bitcoin pode alcançar. Especialistas projetam Bitcoin a US$100 mil, US$500 mil… 1 milhão de dólares nos próximos 5 anos. Difícil precisar.

Porém, imagine "se" isso acontecer... é bom estar preparado, certo? Por isso é importante não ignorar o bitcoin e buscar informações confiáveis a respeito (como esta aula gratuita em https://goo.gl/vB54af).



Website: https://goo.gl/vB54af
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade