0

Área de teste de software oferece excelentes oportunidades de carreira

11 jul 2018
16h01
  • separator
  • comentários

Não é novidade que a área de tecnologia e desenvolvimento de software está em alta. O segmento está em franco crescimento no país e investe agressivamente no recrutamento, capacitação e retenção de profissionais.

Foto: null / DINO

Para cada software desenvolvido ou atualização de versão, é necessária uma série de testes, em variadas plataformas tecnológicas, para garantir que o sistema atenderá às expectativas dos seus usuários. Por isso, o setor de testes e qualidade de software também cresce em ritmo acelerado. Os testes são uma parte vital dos ciclos de desenvolvimento. Nos último anos, este setor ganhou mais investimentos, devido à crescente dependência das empresas em relação aos seus sistemas. Quanto mais informatizadas se tornam, maior é a necessidade de garantir o funcionamento adequado do software.

Contudo, enquanto a área de desenvolvimento de software recebe grande atenção por parte do mundo acadêmico e da mídia, a área de testes e qualidade cresce sem tantos holofotes e isso é o que a torna especialmente atrativa em relação às oportunidades de trabalho. Poucos estudantes do ensino superior conhecem a área e, sem querer, acabam limitando suas possibilidades de carreira. Com menos concorrência entre candidatos, sobram oportunidades.

Para as empresas, a importância dos testes fica cada vez mais evidente. Notícias recentes envolvendo falhas de segurança ou indisponibilidade de sistemas de empresas e governos revelam que bugs são coisa séria. Por exemplo, em 2015 estudantes de todo o país sofreram com instabilidades nos sistemas do financiamento estudantil, o FIES. A repercussão negativa foi enorme. Um evento de proporções equivalentes na esfera privada certamente resultaria em prejuízos imensuráveis para a marca.

Programadores e testadores possuem formação, habilidades e competências similares. No entanto, enquanto um programador necessita de amplo domínio das linguagens e ferramentas de desenvolvimento, um testador deve priorizar o entendimento das necessidades do usuário, das regras de negócio do sistema e das diferentes plataformas onde o mesmo será utilizado. De certo modo, desenvolvedores e testadores são dois lados de uma mesma moeda, duas partes de um todo. É humanamente impossível desenvolver um software totalmente livre de bugs. Conforme os sistemas se tornam maiores e mais complexos, o trabalho do testador é fundamental para assegurar que o produto tenha qualidade.

As oportunidades de trabalho na área de testes e qualidade de software são promissoras, com bons salários, benefícios, um ambiente dinâmico e aprendizado contínuo e acelerado. Em média, um analista de testes júnior ganha cerca de R$ 2.300. Um analista sênior pode atingir cerca de R$ 6.100 mensais. Quando o profissional se especializa em automação de testes e acumula experiência, os ganhos podem chegar à R$ 7.700.

As equipes de testes costumam ser formadas por profissionais com diferentes níveis de experiência e tipos de especialização. Isso favorece o rápido aprendizado e crescimento. Um profissional que começa como analista de testes júnior pode adquirir experiência e se tornar um líder de testes em um tempo relativamente curto, se comparado à outras áreas. Obviamente os resultados são equivalentes à capacitação e dedicação de cada profissional.

Guilherme Medeiros, diretor de operações da Prime Control, empresa curitibana especializada em testes e qualidade de software que atende grandes contas em todo o país, conta que no início desconhecia a área. "Foi uma área que ao entrar, não imaginava todas as possibilidades de especialização e crescimento. Cada cliente e cada projeto possuem particularidades. Com isso, estamos sempre capacitando e buscando talentos para compor nossas equipes."

A diretora de recursos humanos da Prime Control, Ana Paula Oliveira, comenta sobre as dificuldades de recrutar e selecionar profissionais de testes: "temos muitas vagas, em várias cidades. Percebemos que os estudantes desconhecem o setor. Eles saem das faculdades com uma visão muito limitada sobre sua carreira e sobre as possibilidades de crescimento."

Os profissionais e estudantes da área de tecnologia que se interessarem pelo setor precisam saber que nem tudo são flores. Testar não é uma tarefa simples. Testadores precisam ter pensamento crítico e cético. Precisam pensar constantemente em maneiras mais eficientes de realizar os testes, como encontrar até mesmo os bugs mais difíceis e saber olhar o software do ponto de vista do usuário. Ou seja, um bom profissional de testes precisa ser curioso, criativo, detalhista e observador.

"Trabalhar com testes é gratificante. A cada dia enfrentamos novos desafios, construímos sistemas que facilitam a vida das pessoas e resolvem problemas reais. É necessário ter muita responsabilidade e compromisso, além de estar num processo contínuo de aprendizagem" complementa Guilherme.

Quem deseja entrar no setor, precisa saber que um diploma de nível superior é importante, mas não é tudo. Certificações como CTFL e CSTE costumam abrir mais portas. Um bom conhecimento de inglês também facilitará muito seu aprendizado, já que este é o principal idioma de boa parte das ferramentas e tecnologias utilizadas. Há centenas de websites com excelentes cursos e tutoriais que podem ajudar, inclusive de gigantes da tecnologia, como Microsoft e HP. Você também encontrará bom conteúdo em plataformas como Coursera e Udemy.

Fontes

http://computerworld.com.br/mercado-de-ti-tem-perspectivas-de-crescimento-em-2018

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/03/problemas-no-sistema-do-fies-impedem-inscricoes-de-estudantes.html

https://mva.microsoft.com/en-us/training-courses/software-testing-fundamentals-8305

https://www.trabalhabrasil.com.br/media-salarial-para-analista-de-testes



Website: http://www.primecontrol.com.br
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade