PUBLICIDADE

SP suspende a vacinação de gestantes com comorbidades

O grupo começaria a ser imunizado contra a covid nesta terça-feira, 11; decisão vale para todo o Estado após recomendação da Anvisa

11 mai 2021 09h09
| atualizado às 09h18
ver comentários
Publicidade

O governo de São Paulo suspendeu em todo o Estado a vacinação contra a covid-19 de gestantes com comorbidades, que estava prevista para iniciar nesta terça-feira, 11. A vacinação de puérperas (até 45 dias depois do parto) está mantida. Na segunda-feira à noite, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um comunicado recomendando a suspensão da aplicação da vacina de Oxford/AstraZeneca em grávidas.

João Doria, governador de São Paulo, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes
João Doria, governador de São Paulo, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes
Foto: Governo de DP/Divulgação / Estadão Conteúdo

A gestão Doria disse que novas informações sobre a imunização do grupo serão divulgadas depois que o Programa Nacional de Imunicação (PNI) do Ministério da Saúde e a Anvisa emitirem pareceres técnicos acerca do tema.

A orientação da Anvisa é para que seja seguida a bula atual do medicamento da AstraZeneca, na qual não consta o uso em gestantes. De acordo com a nota, a decisão é fundamentada no "monitoramento constante de eventos adversos possivelmente causados pelas vacinas em uso no País." Alguns estados já tinham iniciado a vacinação de grávidas com comorbidades.

O uso "off label" de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, fica restrito aos casos em que haja recomendação médica, mediante avaliação individual, por um profissional de saúde que pondere os riscos e benefícios para a paciente.

Estadão
Publicidade
Publicidade