10 eventos ao vivo

Hospital do Maracanã tem funcionários dormindo no chão

Imagens mostram más condições oferecidas pelo governo do Estado na unidade de saúde

15 mai 2020
13h27
atualizado às 13h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

RIO - Funcionários do Hospital de Campanha do Maracanã, de responsabilidade do governo estadual do Rio, denunciaram más condições de trabalho e até mesmo depósito irregular de material possivelmente contaminado pelo novo coronavírus. Alguns profissionais de enfermagem chegaram a dormir no chão.

Hospital de campanha montado no pátio da fábrica da Mercedes no ABC Paulista
Hospital de campanha montado no pátio da fábrica da Mercedes no ABC Paulista
Foto: Divulgação/Mercedes-Benz / Estadão Conteúdo

Na quinta-feira, imagens gravadas por um funcionário e enviadas à TV Globo mostravam enfermeiros e técnicos em enfermagem descansando em colchões colocados diretamente no piso. Nesta sexta, a emissora mostrou sacos de roupas depositados dentro de uma das bilheterias do estádio. O material pode estar contaminado e fica ao alcance de quem passa pela calçada. Um morador de rua foi flagrado dormindo bem ao lado.

O Hospital de Campanha do Maracanã é de responsabilidade do Estado e gerido pela Organização Social Iabas. Procurada pelo jornal O Estado de S. Paulo, a Secretaria Estadual de Saúde informou que "após denúncias sobre local inadequado para repouso dos profissionais de saúde do hospital de campanha do Maracanã e vistoria da equipe técnica da pasta, a questão foi solucionada e garantida que não irá se repetir".

De acordo com a SES, "agora o espaço de descanso está à disposição das equipes com 110 leitos. Todas as camas e espaços serão utilizadas por equipe multiprofissional, sem distinção entre médicos e outros profissionais. A SES também exige que, desse total de 110, sejam instalados ar-condicionado para 60 leitos, que ainda não contam com os equipamentos".

A secretaria declarou que realizou vistorias na quinta e nesta sexta-feira, mas não comentou sobre o depósito de roupas. A Iabas ainda não se manifestou.

Veja também:

Mitos e Verdades Sobre o Dente de Leite
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade