PUBLICIDADE

Brasil registra 1ª queda de mortes às 3ªs após 8 semanas

País se aproxima da marca de 360 mil vítimas fatais na pandemia

13 abr 2021
18h33 atualizado às 21h40
0comentários
18h33 atualizado às 21h40
Publicidade

O Brasil registrou nesta terça-feira 3.808 novos óbitos em decorrência da covid-19, o que eleva o total de vítimas fatais da doença no país a 358.425, informou o Ministério da Saúde.

Vista aérea do cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, em São Paulo (SP), em meio à pandemia de coronavírus 
01/04/2021
REUTERS/Amanda Perobelli
Vista aérea do cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, em São Paulo (SP), em meio à pandemia de coronavírus 01/04/2021 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

Também foram contabilizados 82.186 novos casos de coronavírus, com o total de infecções no país avançando para 13.599.994, acrescentou a pasta.

O consórcio de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL levantou, junto às secretarias estaduais de Saúde, 3.687 mortes e 80.157 casos nas últimas 24 horas. Ao todo, os veículos de imprensa registraram 358.718 mortes e 13.601.566 infecções pelo novo coronavírus.

As cifras diárias reportadas pelo ministério voltam a subir após dois dias em níveis abaixo da média, já que costumam recuar aos domingos e segundas-feiras em função do represamento de testes aos finais de semana.

No entanto, a marca dessa terça é a primeira queda de mortes no intervalo das últimas oito semanas. A última vez que o País teve redução dos óbitos entre uma terça e outra foi do dia 9 para 16 de fevereiro, quando caiu das 1.350 mortes para 1.167. Depois disso, foram sete altas seguidas: 1.386 no dia 23 de fevereiro, 1.641 no dia 2 de março, 1.972 no dia 9, 2.847 no dia 16, 3.251 no dia 23, 3.780 no dia 30 e 4.195 no dia 6 de abril, semana passada.

O Brasil é o país com o segundo maior número de óbitos por covid-19, atrás somente dos Estados Unidos, mas atualmente lidera o mundo no número médio diário de novas mortes, sendo responsável por uma em cada quatro vítimas da doença no globo a cada dia, segundo levantamento da Reuters.

Com informações da Reuters e do Estadão Conteúdo

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade