0

Trekking em Monte Verde: Pico do Selado

Veja as dicas para chegar ao topo!

14 set 2017
10h42
  • separator
  • comentários

Monte Verde, encravada na Serra da Mantiqueira, fica a 1.600 metros de altitude , é um distrito da cidade de Camanducaia (MG), o acesso é pela Rodovia Fernão Dias e fica a cerca de 166 km de São Paulo (SP), por volta de duas horas de carro.

Depois de passar por dentro da cidade irá percorrer outros 30 km de asfalto subindo a serra. A vila, com cerca de cinco mil moradores, encanta os turistas pela sua arquitetura, em estilo europeu (os fundadores eram  da Letônia), pela gastronomia européia e mineira e pelas suas aconchegantes pousadas.

A cidade tem maior procura quanto menor a temperatura. No frio, costuma lotar. O trekking pode ser de um dia apenas, mas é preciso chegar cedo na cidade. Se possível, contrate um guia ou siga as poucas placas e trilhas estreitas na mata. São várias opções de trilhas, cada pedra tem seu nome dado pela sua aparência: Pedra Redonda,  a mais visitada pelo acesso fácil, Chapéu do Bispo, Pedra Partida, Mirante,  Platô e Pico do selado

Foto: Climatempo
Foto: Por aí / Serra da Mantiqueira e Vale do Paraíba ao fundo

Trekking rumo ao Pico do Selado


Optamos pelo passeio mais longo e com a mais bela vista na montanha, o trekking até o Pico do Selado , em geral, ida e volta, com parada para o lanche, são três a quatro horas de percurso com nível médio de dificuldade. Para alcançar o Pico do Selado existem duas opções, trilhas com tempo e grau de dificuldade semelhantes.

Como dica recomendamos subir pela trilha que sai no final da avenida das Montanhas. É menos íngreme e cansativa, embora tenha mesma distância da Trilha do Platô. Para descer, faça o outro caminho e sairá na rua da Mantiqueira.


Serão 403 metros de variação vertical , a cidade está a 1.600 metros e o pico a 2.083. A subida de média intensidade é por trilhas estreitas na mata e trechos de rocha exposta bem ao lado de precipícios. O passeio não é recomendado para crianças ou cães. No início da subida há vários cachorros de médio porte que acompanham os turistas a espera do lanche e não são simpáticos com outros visitantes de quatro patas.


Siga rumo ao Platô, onde além de boas fotos, há um local para uma pausa de descanso . No caminho você vai cruzar a divisa Minas Gerais x São Paulo, demarcada na pedra e seguir pela  crista da montanha onde a pedra está descoberta. Do Platô, já é possível avistar o Pico do Selado ao longe. No final do percurso chega-se ao Mirante , de onde se tem uma vista de toda a região de Monte Verde.


Na base do Pico do Selado, há uma grande pedra rachada ao meio, a Pedra Partida,  que para muitos já é o fim do passeio. Sobre as pedras fica o Livro do Cume, guardado dentro de uma caixa metálica. Para atingir o ponto mais alto, é preciso circular a pedra do cume e fazer uma escalada pelo outro lado externo. Com um salto: o livro fica na outra metade da pedra, a fenda tem 70 centímetros de largura e cinco metros de altura. Cuidado o  risco de queda é grande.  Nesse momento, a presença de um guia e corda de segurança  é importante para orientar e ajudar a vencer o obstáculo com segurança. Não é recomendado para grandes grupos.


Seguindo até Pico do Selado por uma trilha estreita na mata, você terá acesso a uma magnífica vista panorâmica de toda a região de Monte Verde, do Vale do Paraíba e de  São José dos Campos . Geralmente pela manhã, um tapete de nuvens encobre toda a região abaixo, deixando visíveis apenas as montanhas mais altas, dando a sensação que se chegou ao topo do mundo.

Foto: Climatempo

Foto: Por aí

O que levar:


- Roupas leves para a caminhada

- Agasalho (necessário mesmo no verão, pois esfria no começo e no fim do dia e venta muito)

- Calçados confortáveis (tênis ou bota de caminhada)

- Água

- Lanche

- Capa plástica de chuva

- Protetor solar

- Corda (para dar segurança no desafio de assinar o livro)

*Para a volta e refeições na cidade deixe roupas e calçados limpos.

Dicas:


Leve apenas o necessário em uma mochila , as mãos têm que ficar livres. Não caminhe pelo local no escuro, não se arrisque fora da trilha ou nos trechos muito íngremes. Traga de volta tudo o que levar. De lembrança apenas as fotos e os bons momentos.

Foto: Climatempo
Climatempo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade