PUBLICIDADE

Por que o Rio de Janeiro não bateu o recorde de frio?

Três das quatro capitais da Região Sudeste bateram o recorde de frio para 2021 na madrugada e amanhecer da sexta-feira, 30 de julho, mas o Rio não bateu.

30 jul 2021 23h51
ver comentários
Publicidade

As quatro capitais da Região Sudeste do Brasil tinham chance de bater o recorde de frio para 2021 na madrugada e amanhecer da sexta-feira, 30 de julho. De fato, as capitais São Paulo, Belo Horizonte e Vitória, registraram nesta sexta-feira as suas menores temperaturas para 2021 até o momento. Mas o Rio de Janeiro não bateu recorde de frio, que ainda é de 8,4°C, registrado no dia 20 de julho. Afinal, por que o Rio de Janeiro não bateu o recorde de frio?

 

Condições favoráveis para recorde

A condição técnica para que a temperatura baixasse mais sobre o Sudeste do Brasil no dia 30 de julho era muito favorável. Isto porque o centro da forte massa de ar frio de origem polar que entrou no Brasil esta semana, que a região mais fria do sistema, passava sobre o Sul do Brasil e nessa posição, o ar frio polar chega com mais força até a Região Sudeste. Esfriou mais em relação à quinta-feira em praticamente toda a Região.

Por que o Rio de Janeiro não bateu recorde de frio?

O ar frio de origem polar entrou com força, sim, sobre todo o estado do Rio de Janeiro, causando uma queda de temperatura bastante acentuada. Podemos dizer que, em várias regiões do estado, a madrugada desta sexta-feira foi a mais fria do ano até agora, com temperaturas entre 4°C e 10°C em vários locais do centro-sul fluminense. A menor temperatura no estado, em local habitado, foi na cidade de Carmo, na região serrana fluminense, que registrou temperatura mínima de 4,5°C, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia.

Na cidade do Rio de Janeiro, pela medição oficial do Instituto Nacional de Meteorologia a menor temperatura na madrugada de 30 de julho foi de 12,6°C, por volta das 3 horas, em Jacarepaguá. Mas à noite, a temperatura caiu mais e chegou aos 10,6°C às 21 horas.

Menores temperaturas no RJ em 30/7/2021 (INMET)

Carmo: 4,5°C

Teresópolis-parque nacional: 5,6°C

Três Rios: 5,9°C

Valença: 6,8°C

Resende: 7,5°C

Rio  Claro: 7,5°C

Cambuci: 7,9°C

Seropédica: 9,3°C

Parati: 9,7°C

Cobertor de nuvens

O que evitou uma queda de temperatura mais acentuada sobre a cidade do Rio de Janeiro foi a cobertura de nuvens que ficou sobre a capital fluminense, e sobre todo o Grande Rio, durante a madrugada e as primeiras horas da manhã do dia 30 de julho. 

As nuvens formaram funcionaram como um cobertor que impediu uma perda radiativa mais intensa. Esse é um fenômeno bastante comum.

Foto: Climatempo

Nuvens baixas sobre o Grande Rio às 7h30 de 30/7/2021

Esta imagem captada pelo satélite GOES-16 mostra a cobertura de nuvens sobre o Grande Rio no começo da manhã do dia 30 de julho de 2021. As nuvens aparecem em tons de branco ou cinza claro. As áreas em preto indicam regiões onde o céu está com pouca ou nenhuma nebulosidade.

Regulador de temperatura 

As nuvens são importantes reguladores da temperatura do ar. Numa situação onde o ar está quente, a cobertura de nuvens durante a noite evita o resfriamento e deixa o ar ainda mais abafado. É uma situação favorável para se ter as madrugadas mais quentes do ano. 

Já numa condição de presença de ar frio, a cobertura de nuvens funciona como um cobertor e evita que o ar fique ainda mais frio. Uma noite muito gelada de inverno, é sem nuvens, ou com pouquíssima nebulosidade, e com a presença de ar frio de origem polar.  

Nesta outra sequência de imagens também captadas pelo satélite GOES 16, as nuvens aparecem em tons de verde ou de amarelo claro. Os tons de marrom indicam regiões onde o céu está com pouca ou nenhuma nebulosidade.

Foto: Climatempo

Nuvens altas avançam do Sul para o Sudeste. Nuvens baixas avançam do mar para o RJ

Repare nas nuvens que avançam do mar em direção ao Rio de Janeiro.  Elas não vão provocar chuva, mas vão avançar mais sobre a região da cidade do Rio de Janeiro no decorrer deste sábado, 31 de julho. Mesmo assim o sol deve aparecer um pouco. As outras nuvens que estão avançando do Sul do Brasil em direção à Região Sudeste, são nuvens altas, que não estão associadas à chuva, mas que também podem chegar até a região da cidade do Rio de Janeiro no decorrer deste sábado.

 

Previsão de geada na região serrana 

A falta da nebulosidade, e a presença do ar frio intenso sobre o estado do Rio de Janeiro, vão permitir a formação de geada na madrugada deste sábado em vários locais do médio Paraíba e também da região Serrana Fluminense.

A geada, que é o congelamento do orvalho que se forma sobre superfícies, por exemplo sobre o capô dos carros, sobre a vegetação, pode se formar em cidades como Penedo, Volta Redonda, Maromba e nas cidades da Região Serrana.

Nas outras áreas do estado do Rio de Janeiro, o fim de semana será ainda bastante frio, com temperatura amena durante a tarde, mesmo com a presença do sol.

Na cidade do Rio de Janeiro, a temperatura mínima nas áreas mais frias, deve ficar em torno dos 10 graus neste fim de semana.

Atenção: mar agitado e risco de ressaca com ondas de até 2,5 m neste sábado, 31 de julho

Durante o domingo, o sol vai aparecer com mais força sobre o estado do Rio de Janeiro fazendo com que as temperaturas durante a tarde subam mais do que no sábado.

Agosto começa sem calor

A tendência de aquecimento do ar continua no decorrer da próxima semana, nos primeiros dias de agosto, mas ainda não será uma semana quente. As madrugadas e tardes serão menos frias. Existe uma grande massa de ar frio de origem polar sobre o oceano, que se espalha pela costa do Sul e do Sudeste do Brasil, e que vai influenciar as áreas litorâneas por vários dias. Isto vai dificultar o aquecimento do ar sobre o estado do Rio de Janeiro e em outras áreas do Sul e Sudeste do Brasil na primeira semana de agosto.

Climatempo
Publicidade
Publicidade