PUBLICIDADE

Política

"Vamos tentar abrir até o natal", afirma Paulo Pimenta sobre a reabertura do Aeroporto Salgado Filho

Ministro também destaca que não existe qualquer desalinhamento entre as partes envolvidas, mas sim que os desafios apresentados são totalmente técnicos

3 jun 2024 - 20h51
Compartilhar
Exibir comentários

O ministro extraordinário da Reconstrução do RS, Paulo Pimenta, afirmou nesta segunda-feira (3) ao programa RaioX que a situação do Aeroporto Internacional Salgado Filho é muito grave. Em sua análise, ele acredita que o espaço não irá reabrir antes de dezembro. Pimenta também destaca que não existe qualquer desalinhamento entre as partes envolvidas, mas sim que os desafios apresentados são totalmente técnicos. 

Foto: Porto Alegre 24 Horas / Porto Alegre 24 horas

"A administração do aeroporto informou que todos os equipamentos de navegação e sinalização vão precisar ser recomprados. Se o pedido fosse feito hoje, por exemplo, apenas daqui quatro meses que iríamos receber. Além disso, esse pedido só pode ser feito depois de concluída a sondagem de estragos e esse serviço vai levar 45 dias. Fora todo o tempo de instalação e testagem… Então eu acho que não reabre antes de dezembro. Eu acho que a gente tinha que ter um objetivo, como por exemplo fazer funcionar até o natal", explica.

Pimenta também afirma que existem outras questões envolvendo a reativação do aeroporto. Ele destaca, por exemplo, o fato de que o Governo Federal deve um total de R$ 290 milhões para a Fraport, a administradora do Salgado Filho, ainda na época da pandemia. Pimenta afirma que o contrato de concessão previa um número mínimo de passageiros e, devido a crise sanitária, a empresa entrou com uma ação administrativa. O Governo Federal já reconheceu a dívida, mas o ministro destaca que está em diálogo para evitar que a Fraport "só comece após o pagamento do crédito".

O ministro fez questão de destacar que as enchentes no estado "não são lineares", pois na Região Central foi menos adversa do que em áreas como Vale do Taquari e Região Metropolitana. Pimenta também afirma que no sul do RS, as cidades tiveram mais tempo para se preparar para a enchente, mas que mesmo assim a situação é grave e foi mais forte do que o esperado. 

Porto Alegre 24 horas
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade