PUBLICIDADE

Política

Tragédia no RS: Barroso condena 'onda de fake news propagada por criaturas das sombras'

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) destacou que 'crise humanitária não deveria ser espaço para politizações'

15 mai 2024 - 17h46
(atualizado às 19h11)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Roberto Barroso, condenou a desinformação a respeito da crise climática que afeta o Rio Grande do Sul.
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Roberto Barroso
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Roberto Barroso
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Roberto Barroso, condenou “a onda de desinformação" a respeito da crise climática que afeta o Rio Grande do Sul, propagada por "criaturas das sombras, das trevas"

A fala aconteceu durante evento do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Leopoldo (RS), para anunciar pacote de medidas voltadas para as famílias atingidas pelas enchentes no Estado gaúcho, nesta quarta-feira, 15. 

“Impossível não condenar a onda de desinformação. São criaturas da sombra e das trevas que sob o sofrimento das pessoas projetam a sua maldade. Portanto, é impossível não sentir repulsa por, em um momento grave como esse, pessoas terem esse tipo de comportamento”, pontuou Barroso. 

No início de sua fala, o ministro também destacou que um momento de crise humanitária não deveria ser espaço para politizações. "Não sou da política, sou do Direito. Mas é muito importante ressaltar neste momento a presença do presidente da República e do governador do Estado, acho que isso representa uma certa elevação de patamar civilizatório, que é a não politização de uma crise humanitária. Nós estamos aqui para ajudar as pessoas, cada um dentro da sua competência e das suas habilidades, sem objetivos menores, nem objetivos diferentes que não sejam o de fazer o bem da melhor forma possível", afirmou. 

No evento, foi anunciado o auxílio financeiro no valor de R$ 5,1 mil por família. Ele será destinado para famílias que perderam bens em decorrência das chuvas. 

"Essas pessoas [que perderam bens] terão de forma rápida, facilitada, via Caixa Econômica, a transferência nas suas contas, via Pix, de R$ 5,1 mil. Todas as pessoas que perderam seu objetos. A comprovação se dará apenas pelo endereço que a pessoa mora. Quem perdeu todos os documentos vai lá, diz seu CPF. Vai ser via aplicativo da Caixa, com a autodeclaração das pessoas. E esse endereço, evidente, será checado", disse Rui Costa, ministro da Casa Civil.

Situação no RS

O número de pessoas que precisam de abrigo no Rio Grande do Sul voltou a cair nesta quarta-feira, de acordo com o último balanço divulgado pela Defesa Civil do Estado. São 76.580 pessoas abrigadas, 2.914 a menos do que na terça-feira, 14. Os temporais que atingem o Estado desde o final de abril já mataram 149 pessoas.

Até agora, 2,1 milhões de moradores de 446 municípios gaúchos foram afetados pela tragédia. Mais de 76 mil resgates já foram realizados. Ainda assim, 108 pessoas seguem desaparecidas por conta das inundações.

Confira abaixo o balanço completo da Defesa Civil:

  • Municípios afetados: 446
  • Pessoas em abrigos: 76.580
  • Desalojados: 538.245
  • Afetados: 2.124.553
  • Feridos: 806
  • Desaparecidos:108
  • Óbitos confirmados: 149
  • Óbitos em investigação: 0
  • Pessoas resgatadas: 76.588
  • Animais resgatados: 11.427
  • Efetivo: 27.651
  • Viaturas: 4.405 
  • Aeronaves: 45
  • Embarcações: 340
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade