PUBLICIDADE

Política

PT anuncia apoio a Boulos e fica sem candidato a prefeito em São Paulo

Deputado do PSOL se coloca como principal adversário de Ricardo Nunes (MDB), que tentará a reeleição com apoio de bolsonaristas

5 ago 2023 - 17h41
(atualizado às 18h13)
Compartilhar
Exibir comentários
PT formalizou neste sábado apoio a candidatura de Guilherme Boulos para prefeito de SP na disputa em 2024
PT formalizou neste sábado apoio a candidatura de Guilherme Boulos para prefeito de SP na disputa em 2024
Foto: Pedro Prata/Estadão / Estadão

Pela primeira vez na história o PT não terá candidato na disputa pela Prefeitura de São Paulo, cidade que já foi governada pela sigla três vezes. Em uma decisão que expôs um racha no partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o diretório paulistano da legenda anunciou neste sábado, 5, apoio formal a candidatura do deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) nas eleições municipais de 2024. Uma ala petista defendida que o partido lançasse um candidato próprio.

Participaram do anúncio a presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), e o ministro da Fazenda e ex-prefeito, Fernando Haddad. O PT deve indicar o vice na chapa encabeçada pelo candidato do PSOL.

Em 2020, Boulos chegou ao segundo turno da disputa ao Executivo municipal. Ele obteve 40,62% dos votos válidos e perdeu para Bruno Covas (PSDB). O deputado do PSOL é apontado como principal adversário do prefeito e pré-candidato à reeleição, Ricardo Nunes (MDB), que busca apoio de bolsonaristas para a campanha.

O apoio do PT a Boulos faz parte de um acordo feito nas eleições de 2022. À época, Boulos desistiu de concorrer ao governo do Estado para fortalecer a candidatura de Haddad, que foi ao segundo turno, mas perdeu a eleição para Tarcísio de Freitas. Boulos disputou uma vaga na Câmara e foi eleito deputado federal com mais de um milhão de votos, o mais votado de São Paulo.

"Na campanha de 2022 fizemos um compromisso (com Boulos). Queríamos no nosso lado todos os partidos do campo social e progressista. Não pudemos fazer conversa ampla porque no calor da campanha às vezes você precisa tomar decisões. Eu sabia que tinha desejo na militância de estarmos unidos. Mas entendo que tenham divergências", afirmou Gleisi Hoffmann.

Guilherme Boulos e Lula
Guilherme Boulos e Lula
Foto: Reprodução/Redes Sociais

"Não tenho dúvidas que o companheiro Jilmar Tatto estará aqui na militância e na campanha", disse. Tatto, que disputou a Prefeitura pelo PT em 2020, foi um dos que criticaram o apoio ao nome de Boulos. Ele classificou como um "erro" a sigla abrir mão da candidatura na capital.

Durante o ato deste sábado, Gleisi voltou a reforçar a polarização com o "bolsonarismo" e disse que o presidente Lula "vai entrar na campanha" de Boulos em São Paulo. "Haddad ganhou aqui, Lula ganhou aqui", disse. "O PT já governou o município por três vezes, isso mostra que temos uma liderança e inserção nesse campo mais à esquerda na cidade", disse. Petistas presentes no evento associavam Nunes ao bolsonarismo.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, reafirmou, apoio a Boulos. "(Quero) reafirmar aqui o meu compromisso, já expresso pelo presidente Lula, de construirmos na cidade de São Paulo uma grande frente política progressista liderada pelo companheiro Guilherme Boulos, nosso pré-candidato a prefeito", disse.

O PT já governou a cidade com Luiza Erundina (1989-1993), Marta Suplicy (2001-2004) e com Haddad (2013-2016). /COLABOROU MARIANNA GUALTER

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade