PUBLICIDADE

Política

Promotoria apreende fuzis em operação contra lavagem de dinheiro do PCC via empresas de ônibus

Ao todo, os investigadores vasculharam 52 endereços ligados a 39 investigados e 13 empresas

9 abr 2024 - 11h06
(atualizado às 12h11)
Compartilhar
Exibir comentários
Movimentacao de onibus no Terminal Itaquera onde supostamente empresas ligadas ao PCC operam empresas de transporte; na fota, um veículo da UPBus
Movimentacao de onibus no Terminal Itaquera onde supostamente empresas ligadas ao PCC operam empresas de transporte; na fota, um veículo da UPBus
Foto: Taba Benedicto/ Estadao

Em meio às diligências da Operação Fim da Linha - investigação sobre duas quadrilhas que lavam dinheiro do PCC através de empresas responsáveis pelo transporte de cerca de quase 700 mil passageiros diariamente na capital paulista -, a Polícia Militar e o Ministério Público de São Paulo apreenderam dois fuzis, uma submetralhadora, duas pistolas e um revólver.

Segundo a PM, três das quatro ordens de prisão expedidas no bojo da Operação já foram cumpridas. Além disso, um suspeito foi preso em flagrante por porte de arma. Ao todo, os investigadores vasculharam 52 endereços ligados a 39 investigados e 13 empresas.

As diligências foram cumpridas na capital e nas cidades de Barueri, Cotia, Mauá, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Itaquaquecetuba, Guarujá, Itu, Santana de Parnaíba, São Bernardo do Campo e São José dos Campos.

As ordens foram expedidas pelos juízos da 1ª e 2ª Vara de Crimes Tributários, Organização Criminosa e Lavagem de Bens e Valores de São Paulo. Além disso, foi determinado o bloqueio de mais de R$ 600 milhões em bens dos investigados da 'Fim da Linha'.

A ofensiva também conta com apoio do Conselho Administrativo de Defesa Econômica e da Receita Federal. Para o cumprimento das diligências, foram mobilizados 64 integrantes da Promotoria, 43 agentes do Fisco e um efetio de 340 PMs, utilizando 106 viaturas.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade