Lula quer candidato 'anticorrupção' em Campinas, diz jornal

4 set 2011
08h43 atualizado em 4/1/2012 às 18h53
08h43 atualizado em 4/1/2012 às 18h53
Publicidade

Após liderar a campanha pela candidatura do ministro Fernando Haddad (Educação) para a prefeitura de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende emplacar o economista Marcio Pochmann, presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em Campinas, onde denúncias de corrupção derrubaram em agosto o prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT), o Dr. Hélio, e ameaçam afastar o petista recém-empossado Demétrio Vilagra. No partido, novatos passam a substituir derrotados em eleições anteriores, em um movimento de formação de novos quadros. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Lula e José Dirceu, ao fundo, buscam renovação do PT paulista
Lula e José Dirceu, ao fundo, buscam renovação do PT paulista
Foto: Reuters

O ex-presidente teme que as denúncias de fraudes na gestão de Dr. Hélio e de Vilagra frustrem as pretensões eleitorais do partido na cidade. Pochmann, técnico do Ipea e professor da Unicamp, seria apresentado como nome "anticorrupção". O apreço por candidaturas inéditas é parte da estratégia de renovação defendida por Lula e pelo ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, o que justifica o apoio do ex-presidente a Haddad em detrimento da senadora Marta Suplicy, que perdeu a última eleição municipal para Gilberto Kassab (hoje no PSD). Em Mogi das Cruzes, o candidato petista deve ser Marco Soares, presidente da OAB local. Em Ribeirão Preto, o partido pretende lançar o juiz aposentado João Agnaldo Donizeti Gandini, que presidiu o processo que acusava o ex-ministro Antonio Palocci de fraudes em licitações quando o petista era prefeito do município. Em Santo André, o deputado Vanderlei Siraque pretendia se reeleger, mas foi pressionado a abrir caminho para o ex-sindicalista Carlos Grana.

Fonte: Terra
Publicidade