PUBLICIDADE

Política

Lula diz que viu em Roraima genocídio cometido pelo governo Bolsonaro

22 jan 2023 - 13h18
Compartilhar
Exibir comentários

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva compartilhou neste domingo (22) impressões sobre sua viagem a Roraima neste sábado, para oferecer o suporte do governo federal a crianças Yanomami em situação de desnutrição. Ao citar medidas a serem tomadas para melhorar a situação, o chefe do Executivo disse que o que viu no Estado foi um "genocídio" cometido pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro.

"Mais que uma crise humanitária, o que vi em Roraima foi um genocídio. Um crime premeditado contra os Yanomami, cometido por um governo insensível ao sofrimento do povo brasileiro", declarou o presidente no Twitter. "Adultos com peso de crianças, crianças morrendo por desnutrição, malária, diarreia e outras doenças", apontou. "Os poucos dados disponíveis indicam que ao menos 570 crianças menores de 5 anos perderam a vida no território Yanomami nos últimos 4 anos, com doenças que poderiam ser evitadas."

Além do descaso e do abandono cometido pelo governo anterior, conforme pontuou, Lula disse que a principal causa do genocídio é a invasão de garimpeiros ilegais "cuja presença foi incentivada pelo ex-presidente". "Os garimpeiros envenenam os rios com mercúrio, causando destruição e morte."

O presidente citou algumas conversas que teve com lideranças e indígenas Yanomami na região, que destacam o garimpo ilegal na terra, falta de atendimento básico e de transporte. No sábado (21), durante a viagem, Lula prometeu acabar com o garimpo ilegal na região, além de enviar equipes de saúde e melhorar os serviços de transporte.

Seguindo na esteira das promessas, o petista disse que irá aumentar o número de voos e melhorar a pista de pouso nas comunidades para viabilizar a aterragem de aviões de grande porte. "E quero mudar a lógica atual: em vez das pessoas saírem de suas comunidades para buscar tratamento em Boa Vista, vamos levar equipes médicas permanentes", prometeu. O presidente também declarou que não haverá mais genocídios.

"Povos indígenas serão tratados com dignidade. A humanidade tem uma dívida histórica com os povos indígenas, que preservam o meio ambiente e ajudam a conter os efeitos das mudanças climáticas. Essa dívida será paga, em nome da sobrevivência do planeta", comentou. "Já ouvi que no Brasil há muita terra para poucos indígenas, e que indígenas estão ocupando o território brasileiro. Mas essas pessoas esquecem que em 1500 os povos originários eram donos de todo o Brasil. Nós é que estamos ocupando o que pertence aos primeiros habitantes do país."

A ida de Lula à Boa Vista, capital de Roraima, aconteceu às vésperas da ida para a Argentina. O presidente afirmou que não gostaria de deixar o País sem fazer a visita. Às 18h deste domingo, o chefe do Executivo embarca rumo à Argentina em sua primeira viagem internacional no atual mandato.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade