PUBLICIDADE

Defesa de Bolsonaro pede ao TSE depoimento de Fakhoury

Empresário bolsonarista admitiu à CPI ter custeado material de campanha para Bolsonaro em 2018; valores não foram declarados à Justiça

15 out 2021 16h23
| atualizado às 17h10
ver comentários
Publicidade
13/09/2021
REUTERS/Adriano Machado
13/09/2021 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

A defesa do presidente Jair Bolsonaro pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a tomada do depoimento do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, que admitiu em depoimento no mês passado à CPI da Covid do Senado ter custeado material de campanha para o então candidato ao Palácio do Planalto em 2018, informaram nesta sexta-feira (15) duas fontes com conhecimento do assunto à Reuters.

À CPI, Fakhoury disse que os valores foram para um grupo de apoiadores de Bolsonaro, sem ser direcionada para alguma campanha política e, por essa razão, não foram declarados à Justiça Eleitoral.

Contudo, desde 2015, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) declarou inconstitucional as doações de empresas para campanhas eleitorais, as doações de pessoas físicas para campanhas precisam ser registradas à Justiça Eleitoral sob pena de serem consideradas caixa 2, um crime.

Fakhoury e também a jornalista Patrícia Campos Mello foram listados pela defesa de Bolsonaro para depor no TSE em ações que apuram se empresários bancaram disparos de mensagens em massa no WhatsApp para favorecer a chapa presidencial em 2018.

Em tese, se aceitos, esses pedidos podem atrasar ainda mais o andamento de ações contra Bolsonaro e Mourão e até mesmo inviabilizar a permanência do relator das ações, o ministro Luís Felipe Salomão, à frente dos casos. Ele deixa o posto dia 29 de outubro e será substituído pelo ministro Mauro Campbell.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade