PUBLICIDADE

Política

Cotado à presidência do PT, Edinho Silva, prefeito de Araraquara, busca protagonismo em ajuda ao RS

Edinho Silva pode assumir a direção do partido a partir de 2025 no lugar de Gleisi Hoffmann. Com Paulo Pimenta no comando da Secretaria de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, o nome do prefeito do município do interior paulista também é encampado para a Secom

19 mai 2024 - 17h34
(atualizado em 20/5/2024 às 10h27)
Compartilhar
Exibir comentários

Cotado para suceder a Paulo Pimenta no comando da Secretaria de Comunicação Social (Secom) e um dos nomes favoritos para assumir o direção do PT a partir de 2025, o prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), tenta ganhar protagonismo com ações de ajuda humanitária ao Rio Grande do Sul. Nas últimas semanas, o petista fez "dobradinhas" com a primeira-dama Rosângela Silva, a Janja, na comunicação das ações do governo e articulou campanhas de arrecadação de doações com empresários do município do interior paulista.

Além de tentar ganhar projeção com ações de apoio ao Estado afetado pelas enchentes, Edinho conquistou destaque nas redes sociais de Janja, com quem viajou no dia 8 de maio, como integrante da comitiva ministerial de ação humanitária aos gaúchos. Edinho foi procurado pelo Estadão, mas não retornou o contato.

Na ocasião, Edinho atribuiu a Janja o conselho que convenceu o presidente a não assinar um decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para conter os vândalos em Brasília. Segundo o prefeito de Araraquara, a primeira-dama disse a Lula que assinar a GLO seria "entregar aos militares". Diante do aviso, a alternativa escolhida foi a assinatura de um decreto de intervenção federal, sob o comando de Ricardo Cappelli, então secretário-executivo do Ministério da Justiça.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade