0

Barroso: 'Está tudo relativamente tranquilo, sob controle'

A fala, em tom de celebração, tem a ver com um 1º turno de tentativa de invasão hacker e problemas técnicos na contabilização de votos

29 nov 2020
17h21
atualizado às 17h30
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Após um primeiro turno marcado por tentativa de invasão hacker e problemas técnicos na contabilização dos votos, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, disse neste domingo, 29, que o segundo turno das eleições municipais ocorre dentro da normalidade. "Está tudo relativamente tranquilo, tudo sob controle", disse.

Ministro Luís Roberto Barroso durante sessão do STF 
07/03/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino
Ministro Luís Roberto Barroso durante sessão do STF 07/03/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

Barroso conversou com jornalistas enquanto se dirigia ao setor que cuida da tecnologia do tribunal. Há pouco, ele recebeu o diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, que trouxe informações sobre a atuação da corporação para garantir a segurança das eleições.

Diferentemente do 1º turno, quando previsões de horário de conclusão da apuração dadas por Barroso foram frustradas devido a um "problema técnico" em um dos núcleos de processadores de contabilização, o presidente da corte eleitoral evitou antever um prazo para o término da apuração.

Barroso disse que a equipe trabalha para que a totalização dos votos seja finalizada num prazo menor do que no 1º turno. "Nós vamos divulgar hoje, se Deus quiser", disse.

O ministro também parabenizou a Polícia Federal pelas investigações que resultaram na prisão do suspeito de ter realizado o ataque hacker contra o TSE no primeiro turno. Ele foi detido em Portugal no âmbito da Operação Exploit, deflagrada em conjunto com a Polícia Judiciária Portuguesa - Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e Criminalidade Tecnológica.

Outros três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados foram cumpridos no Brasil, nos Estados de São Paulo e Minas Gerais.

"A Polícia Federal foi extremamente eficiente junto com polícia portuguesa", disse Barroso em breve conversa com os jornalistas. O ministro deve conceder entrevista coletiva mais tarde na sede do TSE, em Brasília.

Veja também:

Sem máscara, Bolsonaro vai a lotérica e padaria em Brasília
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade