0

Adiar eleição é um 'risco institucional grande', afirma Maia

"Quem assumiria nas prefeituras seriam juízes, não os prefeitos", afirmou o presidente da Câmara.

27 mar 2020
15h14
atualizado às 15h25
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira (27) que adiar as eleições municipais previstas para outubro deste ano não é uma questão simples ante a crise provocada pelo novo coronavírus. Segundo ele, haveria um "risco institucional muito grande" em adiar o pleito.

"Quem assumiria nas prefeituras seriam juízes, não os prefeitos", afirmou. Maia destacou que a população "vota por quatro anos e não por seis anos". "Isso precisa ser respeitado, no meu ponto de vista", disse.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados 
11/03/2020
REUTERS/Adriano Machado
Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados 11/03/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Para o presidente da Câmara, o importante é focar nas medidas atuais de combate ao novo coronavírus e planejar o período pós-crise. "Vamos cuidar dos dois (próximos) meses, vamos garantir previsibilidade, vamos montar um planejamento para depois desse momento mais agudo para que a gente consiga colocar dinheiro para o setor produtivo voltar a produzir", defendeu.

Segundo Maia, uma vez que ocorra a injeção de dinheiro público e a liberação da população aos poucos do estado de isolamento, será possível retomar a economia e pensar nas eleições. "Acho que a gente passa a ter as condições (depois da retomada) de em um prazo de 30, 40 dias realizar as eleições", complementou o parlamentar.

 

Veja também:

Em 'live' com alvos de ação do STF, Eduardo Bolsonaro cita 'momento de ruptura'
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade