1 evento ao vivo

Mutirão vai disponibilizar 200 mil testes para HIV em SP

Outro evento que marca o Dia Mundial de Luta Contra a Aids em São Paulo é a soltura de 4 mil balões vermelhos no céu da capital paulista

30 nov 2014
19h10
  • separator
  • 0
  • comentários

Durante cinco dias, serão disponibilizados cerca de 200 mil testes gratuitos para HIV em 549 municípios do estado de São Paulo. A ação faz parte da campanha Fique Sabendo, em sua 7ª edição, e marca o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado amanhã (1). O objetivo é incentivar o diagnóstico precoce da infecção pelo vírus do HIV, causador da aids, e que pode ser sexualmente transmissível. Os interessados devem procurar – a partir de amanhã (de 1 a 5 de dezembro) - uma das 3,3 mil unidades de saúde que irão dispor do serviço.

<p>Usu&aacute;rio de drogas retira amostra de sangue para teste de HIV em uma cl&iacute;nica. 25/11/2013.</p>
Usuário de drogas retira amostra de sangue para teste de HIV em uma clínica. 25/11/2013.
Foto: Yorgos Karahalis / Reuters

Além dos exames rápidos digitais, no qual se coleta uma gota de sangue como material de análise, 217 municípios vão utilizar também o teste rápido por fluido oral. O exame por fluido oral detecta a presença de anticorpos e o resultado é obtido em cerca de 30 minutos. Em ambos os casos, é mantida é a privacidade e o sigilo de cada resultado, conforme destacou a Secretaria Estadual de Saúde, que promove o mutirão. Durante a campanha, serão distribuídos também 8 milhões de preservativos masculinos, além de 7 milhões de panfletos e 15 mil cartazes.

Outro evento que marca o Dia Mundial de Luta Contra a Aids em São Paulo é a soltura de 4 mil balões vermelhos no céu da capital paulista. A ação de conscientização simbólica ocorre há 20 anos no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, da Secretaria de Estado da Saúde, que é referência internacional para o tratamento de doenças infecciosas. Antes da soltura dos balões, prevista para as 12h, o instituto promove um simpósio que discute o panorama da aids no mundo e as pesquisas que podem levar à cura.

Participam do debate o médico infectologista Luiz Carlos Pereira, diretor técnico do Emílio Ribas, que faz a abertura oficial; o secretário de Saúde David Uip, médico infectologista, que falará sobre a rede estadual de DST-aids; e o infectologista Ésper George Kallás, professor da disciplina de Imunologia Clínica e Alergia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), que discorrerá sobre os avanços nas pesquisas sobre a cura da aids.

Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade