PUBLICIDADE

MPF denuncia Wassef por lavagem de dinheiro e peculato

O advogado já atuou para a família do presidente Jair Bolsonaro, mas a acusação não tem qualquer ligação com o presidente

25 set 2020 14h17
| atualizado às 14h19
ver comentários
Publicidade

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro apresentou uma denúncia à Justiça contra o advogado Frederick Wassef por lavagem de dinheiro e peculato (desvio de recurso público) em uma investigação sobre suposto desvio de recursos no Sistema S no estado, conforme denúncia divulgada nesta sexta-feira e obtida pela Reuters.

Advogado Frederick Wassef comparece a cerimônia no Palácio do Planalto
17/06/2020
REUTERS/Adriano Machado
Advogado Frederick Wassef comparece a cerimônia no Palácio do Planalto 17/06/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Wassef e outras quatro pessoas foram denunciadas criminalmente. O advogado já atuou para a família do presidente Jair Bolsonaro, mas a acusação não tem qualquer ligação com o presidente.

Segundo a peça, houve um desvio de 4,6 milhões de reais de recursos do Sesc-RJ e Senac-RJ, por intermédio da Fecomércio com "pagamentos de honorários advocatícios por serviços que efetivamente não foram prestados, relativo a contrato ideologicamente falso".

A acusação imputa a Wassef um desvio de 2,865 milhões de reais entre os meses de dezembro de 2016 e maio de 2017. Parte da denúncia é baseada na delação premiada de Orlando Diniz, um ex-presidente da Fecomércio-RJ que firmou um acordo de delação premiada.

Procurado pela Reuters para comentar, Wassef não respondeu de imediato.

No início do mês, Wassef, e os advogados Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira, que defendem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e Eduardo Martins, filho do atual presidente do STJ, foram alvos, entre outros, de nova fase da Lava Jato, que investiga supostos desvios no Sesc e no Senac do Rio de Janeiro e na Fecomércio-RJ.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade