PUBLICIDADE

Com saúde em colapso, Manaus suspende vacinação anti-covid

Objetivo é apurar eventuais irregularidades

21 jan 2021 14h36
| atualizado às 15h34
ver comentários
Publicidade

Com seu sistema de saúde em colapso devido à pandemia do novo coronavírus, Manaus suspendeu temporariamente a vacinação contra a covid-19 devido a suspeitas de que algumas pessoas teriam 'furado a fila' de grupos prioritários.

Manaus é um dos epicentros da pandemia no Brasil
Manaus é um dos epicentros da pandemia no Brasil
Foto: EPA / Ansa

Nos últimos dias, familiares de empresários postaram fotos sendo vacinados nas redes sociais, embora essa primeira etapa seja destinada a profissionais da saúde que atuem na linha de frente contra a pandemia.

Duas delas, as médicas recém-formadas Gabrielle Kirk Lins e Isabelle Kirk Lins, foram nomeadas às vésperas do início da campanha de imunização para cargos em uma nova Unidade Básica de Saúde (UBS) da capital amazonense.

A Prefeitura de Manaus nega irregularidades e diz que as duas médicas estavam de plantão, por isso foram vacinadas, mas a Secretaria Municipal de Saúde e o governo do Amazonas decidiram suspender o programa de vacinação para fazer um replanejamento.

Apenas profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) continuarão sendo imunizados. Como a quantidade de doses da CoronaVac disponibilizadas ao estado hoje é insuficiente para vacinar todos os trabalhadores da saúde, a prioridade será para profissionais da linha de frente.

Segundo o Ministério da Saúde, o Amazonas tem 238.980 casos e 6.598 mortes causadas pelo coronavírus Sars-CoV-2, com a segunda maior mortalidade em todo o Brasil (159,2/100 mil habitantes), depois do Rio de Janeiro (163,4/100 mil hab.).

Desde a semana passada, hospitais do estado sofrem com a falta de oxigênio para pacientes de covid-19 e de outras doenças.  

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade