0

vc repórter: trens da SuperVia são sinônimo de desconforto no Rio

20 fev 2014
21h47
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Imagem mostra o péssimo estado em que se encontram trens do Rio de Janeiro</p>
Imagem mostra o péssimo estado em que se encontram trens do Rio de Janeiro
Foto: José Carlos Pereira de Carvalho / vc repórter

Sujos, mal conservados, com problemas de manutenção e sem ventilação em uma cidade famosa pelo clima quente e em pleno verão. Os trens da SuperVia, empresa que administra as composições ferroviárias no Rio de Janeiro, são vistos assim por parte dos 600 mil passageiros transportados todos os dias.

Procurada pelo Terra, a empresa informou que possui “planos de manutenção preventiva e corretiva que são seguidos rigorosamente”, em duas oficinas, e em sete postos de atendimento ao longo dos ramais, “onde técnicos treinados e qualificados trabalham em plantão de escala de 24 horas, fazendo inspeção de rotina quando os trens estão estacionados nos pátios”.

Não é o que parece para os passageiros. Um leitor do Terra enviou fotos que mostram trens defasados, com a pintura descascada, sem ar condicionado e com janelas que não abrem. Por nota, a empresa informou ter ampliado seus investimentos próprios em R$ 900 milhões, chegando à marca de R$ 2,1 bilhões, de um total de R$ 2,4 milhões de verba a ser divido com município e Estado até 2020.

<p>Composição não tem ar condicionado; para piorar, algumas janelas estão emperradas</p>
Composição não tem ar condicionado; para piorar, algumas janelas estão emperradas
Foto: José Carlos Pereira de Carvalho / vc repórter

“Nos últimos três anos, a SuperVia investiu R$ 600 milhões, montante que, somado aos investimentos por parte do Governo para aquisição de novas composições, foi destinado à compra de 480 novos carros com ar refrigerado, à troca de 100 quilômetros de trilhos, instalação de 70 mil dormentes, substituição de 80 mil metros de cabos de rede aérea, reformas de estações, aquisição de novos sistemas de comunicação e segurança e renovação de toda a infraestrutura férrea. O valor de R$ 1,5 bilhão restante deverá ser antecipado em dois anos e, até 2018, será aplicado na revitalização do sistema de trens do Rio de Janeiro”, concluiu.

O leitor José Carlos Pereira de Carvalho, do Rio de Janeiro (RJ), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
vc repórter
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade