PUBLICIDADE

Umidade do ar em SP pode chegar a estado de atenção

Última chuva significativa na capital paulista foi registrada há quase um mês; veja cuidados com a saúde

24 ago 2021 12h27
| atualizado às 12h49
ver comentários
Publicidade

Sem chuva significativa há quase um mês, a cidade de São Paulo continua com tempo quente e seco nesta terça-feira (24). Segundo previsão do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura, a capital deve registrar máxima de 31 ºC durante a tarde, temperatura elevada para essa época do ano, enquanto o índice de umidade oscila em torno dos 20%, abaixo do considerado ideal.

Às 10 horas, o índice de umidade na cidade era de 44,3%, com tendência de queda. A capital tem registrado níveis decrescentes, na casa dos 20%, a partir do meio-dia. Quando essa taxa fica entre 21% e 30%, a cidade entra em estado de atenção. Abaixo desse patamar, já é considerado nível de alerta.

Movimentação na região central de São Paulo (SP), com forte calor na capital paulista
Movimentação na região central de São Paulo (SP), com forte calor na capital paulista
Foto: Willian Moreira / Futura Press

O tempo seco e a ocorrências de incêndios - como o do Parque do Juquery, na Grande São Paulo que consumiu 65% da área da unidade protegida na Grande São Paulo entre domingo e segunda - pioram a qualidade do ar. Idosos e crianças têm sensibilidade maior a essas mudanças. A baixa umidade também dificulta a dispersão de poluentes no ar, formando uma camada escura no céu e agravando os efeitos da poluição.

Nos próximos dias, a tendência é que o tempo continue da mesma forma, com potencial para novos recordes de calor no inverno. O calor aumenta na quarta-feira (25) quando os termômetros podem alcançar máxima de 32 °C no meio da tarde. Até quinta-feira (26), os índices de umidade devem continuar próximos ou abaixo dos 20%.

Umidificação e ingestão de líquidos amenizam efeitos

Autoridades e especialistas recomendam algumas adaptações na rotina para sofrer menos com os efeitos do tempo seco. Veja alguma delas:

  • A Prefeitura desaconselha exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 17h.
  • É recomendável umidificar os ambientes utilizando bacias com água, toalhas molhadas ou vaporizadores.
  • A ingestão de líquido é fundamental, sobretudo para crianças e idosos
  • O tempo extremamente seco favorece o agravamento de alergias em crianças, por exemplo. Há, inclusive, risco de confusão de casos alérgicos com a covid-19, o que desafia os médicos no diagnóstico, segundo Marco Aurélio Sáfadi, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria.
Estadão
Publicidade
Publicidade