PUBLICIDADE

PM prende suspeito de matar lutador de MMA que tentou recuperar moto roubada no Rio

Diego Braga Alves subiu no Morro do Banco, na comunidade da Muzema, para recuperar moto; região é disputada entre traficantes e milicianos

16 jan 2024 - 11h15
(atualizado às 12h06)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Diego Braga Alves, lutador e professor de MMA de 44 anos, foi encontrado morto na noite desta segunda-feira, 15. Ele foi até o Morro do Banco, na comunidade da Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro, para recuperar sua moto que havia sido roubada.
Diego Braga tentava encontrar sua moto que foi furtada na madrugada desta segunda-feira, 15
Diego Braga tentava encontrar sua moto que foi furtada na madrugada desta segunda-feira, 15
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Militar prendeu um dos suspeitos de matar o lutador e professor de MMA Diego Braga Alves, de 44 anos. Ele foi encontrado morto na noite de segunda-feira, 15, após pedir ajuda nas redes sociais para encontrar sua moto que havia sido roubada. O lutador foi até o Morro do Banco, na comunidade da Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro, e desapareceu. 

De acordo com a PM, a vítima foi localizada em uma área de mata e socorrida para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, onde foi atestado o óbito. 

Na manhã desta terça-feira, 16, um dos suspeitos de assassinar o atleta foi preso, em casa, no Morro do Banco, com drogas. Segundo a Polícia Militar afirmou ao Terra, ele confessou ter participado do crime e foi conduzido à 16° DP.  "As buscas na região por outros envolvidos estão em andamento", acrescentou a corporação.

Antes de desaparecer, Diego havia postado, por volta das 11h de segunda, uma foto com a moto e as informações da placa. Além disso, o lutador também compartilhou o momento em que o veículo foi furtado na garagem do condomínio onde ele morava.

O filho de Diego, também lutador Gabriel Braga, falou ao portal g1 sobre o desaparecimento. Ele contou que, percebendo a demora do pai depois de ir atrás da moto, amigos de Diego tentaram ir ao morro, mas receberam ordens de que deviam descer.

"Um amigo ligou para tentar liberar o corpo, e eles falaram que colocaram o corpo em uma praça. Mas quando chegamos lá, a polícia já estava lá e não deixaram ninguém subir”, disse Gabriel. A região é alvo de disputa entre traficantes e milicianos.

Em nota, a Polícia Civil informou que a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) assumiu a investigação do assassinato de Diego. Os policiais coletam informações e realizam demais diligências para identificar todos os autores do crime.

Diego Braga era lutador e professor na Tropa Thai, academia de artes marciais que funciona no Rio de Janeiro. As aulas na academia foram suspensas na tarde desta segunda.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade