PUBLICIDADE

Menina de 7 anos resgata minicarro guinchado e ganha mimo

Maria Eduarda teve o seu mini Fusca guinchado no dia 1º de janeiro e devolvido na segunda-feira, 10 junto com o leãozinho dado pelo capitão

13 jan 2022 13h58
| atualizado às 14h20
ver comentários
Publicidade

Os 10 primeiros dias do ano foram de muita chateação e apreensão para a menina Maria Eduarda, de apenas sete anos. Proprietária de um mini-fusca conversível, à gasolina, que ganhou de ‘Dia das Crianças’, em outubro de 2020, ela viu seu carro ser guinchado, em Itapoá, litoral norte de Santa Catarina, (250 km de Florianópolis), no dia 1º de janeiro, enquanto transitava em uma das ruas da cidade.

Maria Eduardo teve o carro guinchado e depois recuperou o brinquedo Simone Franca/Arquivo Pessoal
Maria Eduardo teve o carro guinchado e depois recuperou o brinquedo Simone Franca/Arquivo Pessoal
Foto: Simone Franca / Arquivo Pessoal

A família, que mora em São José dos Pinhais-PR, cidade próxima a Curitiba, resolveu passar o Réveillon na casa da praia, como acontece todos os anos. 

A proprietária do veículo não se conformou com a situação. “Quando ela viu o carro sendo colocado no guincho, entrou em desespero”, relembrou a mãe, Simone Franca, ao Terra. “Pensei que nunca mais ia ver o carro”, comentou Maria Eduarda.

A apreensão foi feita por um policial militar local, que informou que a criança conduzia o carrinho no momento da abordagem e que o pai da menina, Ademir Rodrigues, vai responder criminalmente "por entregar o veículo a condutor não habilitado e menor de idade".

O pesadelo da criança teve fim na última segunda-feira, 10, quando o veículo foi liberado. “Voltamos a Itapoá-SC para pegar o carro dela de volta”, mas a menina não ficou sabendo que iria na delegacia, pois ficou bem traumatizada. Eu só falei pra Maria Eduarda que pegaríamos o carro de volta. Quando ela viu que era na polícia, de repente,  ficou em desespero, começou a chorar e se recusou a entrar na delegacia”, relembrou. “Até hoje ela fica bem nervosa quando ouve alguma sirene, ou vê algum carro de polícia na rua. Não quer saber nunca mais de viatura”.

Pra acalmar Maria Eduarda, o capitão da delegacia de Itapoá-SC, que liberou o seu carro, a agraciou com um mimo. “O capitão precisou ir até a lanchonete (em frente) para conversar com ela e acalmá-la. Ele foi tão gentil que até deu de presente: um lezãozinho de pelúcia, que deu o nome de ‘Fofucho’. "Ela não larga de jeito algum”, falou. “Agora mesmo estou deitada com ele”, comentou a criança.

Maria Eduarda ganhou um leãozinho, de presente, do capitão Simone Franca Arquivo Pessoal
Maria Eduarda ganhou um leãozinho, de presente, do capitão Simone Franca Arquivo Pessoal
Foto: Simone Franca / Arquivo Pessoal

Com o seu automóvel em casa, a menina de sete anos prometeu tomar todo o cuidado do automóvel. “Vou levar para a loja, que eu quero lavar e cuidar bem dele”. Para descontar o tempo em que ficou parado por 10 dias, ela prometeu. “Como estou de férias, vou andar com o carro todos os dias”.

Simone e a família garantem que aprenderam a lição. “Ela só vai andar aqui dentro onde moramos, pois é um condomínio fechado”.

O pesadelo

Simone lembra como tudo aconteceu, quando a família resolveu dar uma volta. Seu marido, Ademir Rodrigues levou o veículo na caminhonete até a praia. "Simplesmente o policial militar parou a gente na rua e já foi chamando o guincho. Eu fui mostrar a nota fiscal e ele não quis ver", contou. "Ele (o policial) me pediu o licenciamento do veículo, mas eu disse que era um brinquedo e que só tinha nota fiscal".

Segundo ela, o seu marido foi multado e teve a habilitação suspensa.  “Foi uma atitude totalmente inconveniente e nós vamos à Justiça recorrer”, protestou.  “A incoerência é tão grande que o veículo está em meu nome. Meu marido não tem nada a ver”.

"Simplesmente ele (o policial militar) parou a gente e já foi chamando o guincho. Eu fui mostrar a nota fiscal e ele não quis ver", disse Simone, que ficou sabendo que o PM não é de Itapoá-SC, mas que veio reforçar o patrulhamento nas festas de fim de ano. "Ele (o policial) me pediu o licenciamento do veículo, mas eu disse que era um brinquedo e que só tinha nota fiscal", relembra. O veículo, que funciona com um motor de 40 cilindradas, é movido a gasolina e avaliado em R$ 12,5 mil.

Sempre gostou de carros

Maria Eduarda pode ser considerada uma menina diferente das outras e não teve dúvidas em trocar as bonecas. “Sempre gostou mais de carros desde pequena”, destacou. A sua paixão por automóveis tem uma explicação, já que os pais tem uma loja de carros em São José dos Pinhais-PR. “Ela sempre esteve com a gente desde pequeno e isso a influenciou”.

Seu primeiro veículo ela ganhou quando ainda era bebê. “Com um ano, ela já tinha um carro elétrico de controle remoto e pedal”.

Mas não só a filha que teve esse privilégio. Atualmente Bruna, com 23 anos, e Gabriel, de 15, também. “O Gabriel ganhou um quadriciclo primeiro e depois uma moto”, relembrou. “Ambos trabalham com a gente e a Bruna trabalha como investidora na loja. Ela quem negocia os carros dela”, contou.
 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade