1 evento ao vivo

Menina de 5 anos é morta a facadas em porta de escola em MG

Criminoso teria cometido o crime sob surto psicótico e foi preso; prefeitura decretou luto oficial de três dias

30 out 2019
12h53
atualizado às 13h49
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma menina de cinco anos foi morta a facadas na manhã desta quarta-feira, 30, na porta de uma escola em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. O criminoso, Moabe Edon Pinto Nogueira Souto, de 25 anos, teria cometido o crime sob surto psicótico.

Foto: Alex de Jesus/O Tempo / Estadão

"Ele só dava facada e risada", afirmou Brenda Souza de Andrade, 23 anos, que levava a menina para a escola. A garota morreu no local com perfurações na nuca, pescoço e tórax, segundo informações da Polícia Militar. Souto foi agredido por pessoas que estavam próximas ao local do crime e preso em seguida.

Brenda, em entrevista à Rádio Super, disse que levava a garota e o irmão para a escola, por volta das 6h30. De repente, a menina caiu. "Perguntei por que ela havia caído". Nesse momento, olhou para trás, viu o agressor com uma faca, que, afirmou, parecia "com as de açougue", pegou a menina no colo e começou a correr.

"Mas ele não queria as minhas costas. Só queria ela mesmo", disse. Ao verem a cena, frequentadores de um bar imobilizaram o agressor até a chegada da polícia. Na entrevista à rádio, Brenda disse nunca ter visto o criminoso.

O crime ocorreu em frente à escola Instituto Neusa Dutra, no bairro Vila Cristina. A menina, no entanto, estava sendo levada para o Centro Infantil Municipal (CIM) Silvina Julia de Carvalho, que fica próximo, onde estudava.

A Prefeitura de Betim decretou luto oficial de três dias. "As aulas estão suspensas na unidade infantil onde a vítima estudava até a próxima segunda-feira, 4. As demais unidades educacionais estão com atividades mantidas normalmente", informou, em nota.

O texto diz ainda que o município "vem prestando apoio e acompanhamento aos servidores da unidade e aos familiares da criança". Por volta das 11h30, peritos da Polícia Civil de Minas Gerais ainda realizavam trabalho de perícia no local do ataque. O caso será investigado pela delegacia de homicídios da cidade.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade